“Crimes suaves que ajudam a viver”. Esta frase saltitou do livro do Drummond que estou lendo. Pulou na minha frente e quase me matou de tanta verdade. Um crime suave, se faz necessário, quando não temos outra solução a não ser violentar, matar aquilo que nos incomoda, e furtar o que nos dá prazer, o que nos envolve.

Um crime suave…matar, decapitar, dar fim, sem qualquer violência em alguém que nos persegue, que nos machuca. Arrancar de uma vez por todas aquele sentimento que só nós vivemos e que tanto faz para o outro. Cometer o homicídio de arrancar alguém de nós para nos libertarmos. Ter a coragem de dizer para nós mesmos: não quero mais.

Não é fácil eliminar alguém da nossa vida, mas é melhor dar um fim de uma vez por todas, quando há amor unilateral. Melhor cometer um crime suave… ir, aos poucos, deixando de procurá-lo, parar com os ligações diárias e insistentes, esquecer as mensagens implorando por ele, exterminar com as cenas desmedidas para conquistá-lo a qualquer preço… Cometer um homicídio de arrancá-lo de nós para nos libertarmos.

Mate-o! Isso mesmo! Mate-o aos poucos ou de uma vez por todas! Para isso, é melhor cometer o crime de começarmos a nos amar mais, a nos colocarmos antes dele e parar de venerá-lo. Simplesmente mate-o!

Que possamos matar todos aqueles sentimentos ruins, todas aquelas pessoas que não estão tão envolvidas como nós. Que matemos todas as situações que sufocam nossos dias. Colocar um fim, deixar prá lá não é fácil, e requer nosso sofrimento, muitas vezes. Mas, é melhor chorar, se sentir vazia e culpada por ter dado um basta no que te fazia infeliz, do que viver na dependência de alguém ou alguma situação por acomodação, medo e insegurança.

Mate! Peça demissão do seu trabalho se você não está satisfeito. Sabe aquele amigo que só te procura quando precisa? Pois é, manda à merda e para ir procurar alguém idiota para suportá-lo, pois amizade é troca e carinho, apenas.

Aquele paquera, namorado, noivo ou marido que te angustia, te trai, te falta com respeito, é violento e não te olha mais nos olhos, diga adeus, mesmo que cortando seu coração aos pedacinhos, deixe-o partir…não vai ser fácil, vai te custar tristeza, apatia e dor, mas é melhor assim, do que agredida moralmente e sendo abusada nos sentimentos.

A melhor conquista é a libertação do que nos faz reféns. Chega de tanta bondade com que não tem a sensibilidade de perceber nossas melhores intenções. Basta daquele alguém que não corresponde a altura dos seus sentimentos. Já é suficiente doar e doar, ser cobrada até pode, porém não ter méritos para nada.

Chega!
Mate aquelas incertezas na sua vida. Mate as inseguranças. Aniquile as tristezas. Enforque as hipocrisias. Dê um tiro na angústia. Acabe logo com isso e vai ver o sol nascer lindo todos os dias como dádiva do Senhor. Mate para que a vida faça mais sentido e morra de amor verdadeiro pelo outro.

Para viver, muitas vezes, se faz necessário morrer ou matar, então faça. Não é preciso premeditar a vida, é preciso vivê-la na intensidade e, para isso, é necessário ter o ímpeto de aliviar tudo que te incomoda à sua volta. É preciso se desprender, mesmo que sangre, para que haja a sua libertação.

Siga as palavras sábias do poeta imortal, Drummond…cometa um crime suave para viver melhor.

*Os textos assinados por colunistas não remetem ao pensamento e filosofia do Fãs da Psicanálise

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Simone Guerra
Professora e colunista do site Fãs da Psicanálise.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here