Os campos eletromagnéticos de radiofrequência podem ter efeitos adversos no desenvolvimento do desempenho da memória em regiões específicas do cérebro expostas durante o uso de telefones celulares. Estas são as conclusões de um estudo envolvendo cerca de 700 adolescentes na Suíça. A investigação, liderada pelo Instituto Suíço de Saúde Pública e Tropical (Swiss TPH), foi publicada na segunda-feira, 23 de julho de 2018, na revista Environmental Health Perspectives.

A rápida evolução das tecnologias da informação e comunicação (TIC) acompanha o aumento da exposição a campos eletromagnéticos de radiofrequência (RF-EMF) em nossa vida diária. A fonte de exposição mais relevante para o cérebro é o uso de um telefone celular próximo à cabeça. Diversos estudos foram realizados para identificar os efeitos potenciais à saúde relacionados ao RF-EMF, embora os resultados ainda sejam inconclusivos.

A pesquisa conduzida por cientistas do Instituto Suíço de Saúde Pública e Tropical (Swiss TPH) analisou a relação entre a exposição ao RF-EMF de dispositivos de comunicação sem fio e desempenho de memória em adolescentes. O estudo segue um relatório publicado na revista científica Environment International em 2015 com o dobro do tamanho da amostra e informações mais recentes sobre a absorção de RF-EMF em cérebros adolescentes durante diferentes tipos de uso de dispositivos de comunicação sem fio. Estes são os primeiros estudos epidemiológicos do mundo a estimar a dose cerebral RF-EMF cumulativa em adolescentes.

O estudo publicado em 23 de julho de 2018 descobriu que a exposição cumulativa RF-EMF do uso de telefones celulares ao longo de um ano pode ter um efeito negativo no desenvolvimento do desempenho da memória figurativa em adolescentes, confirmando resultados anteriores publicados em 2015. A memória figurativa está localizada principalmente no hemisfério direito do cérebro e associação com RF-EMF foi mais pronunciada em adolescentes usando o telefone celular no lado direito da cabeça. “Isso sugere que, de fato, o RF-EMF absorvido pelo cérebro é responsável pelas associações observadas”. disse Martin Röösli, chefe de Exposições Ambientais e Saúde da Swiss TPH.

Outros aspectos do uso da comunicação sem fio, como o envio de mensagens de texto, jogos ou navegação na Internet, causam apenas uma exposição marginal ao RF-EMF no cérebro e não estão associados ao desenvolvimento do desempenho da memória. “Uma característica única deste estudo é o uso de dados de usuários de celular coletados objetivamente das operadoras de telefonia móvel.” disse Röösli.

Os dados coletados do grupo de Usuários de telefones celulares em adolescentes (HERMES) analisaram a relação entre a exposição ao RF-EMF e o desenvolvimento do desempenho de memória de quase 700 adolescentes ao longo de um ano. Os participantes, com idades entre 12 e 17 anos, foram recrutados da 7ª a 9ª séries de escolas públicas em áreas urbanas e rurais da Suíça suíça-alemã.

Leia Mais: Nomofobia: O vício pelo celular

O efeito potencial da exposição RF-EMF ao cérebro é um campo relativamente novo de investigação científica.”Ainda não está claro como o RF-EMF poderia afetar os processos cerebrais ou quão relevantes são as nossas descobertas a longo prazo”. disse Röösli. “Sabemos também que outros riscos estão implicados, além da memória, mas é muito cedo para afirmarmos quais, o tamanho, e as consequências”, completou.

Riscos potenciais para o cérebro podem ser minimizados usando fones de ouvido ou alto-falante durante a chamada, especialmente quando a qualidade da rede é baixa e o telefone celular está funcionando com a potência máxima.

O estudo foi conduzido pela Swiss TPH em colaboração com o projeto da União Européia GERoNiMO, que visa melhorar o conhecimento sobre se e em que medida o RF-EMF afeta a saúde. O trabalho sobre cálculos foi realizado em colaboração com cientistas belgas. O projeto foi financiado pelo Sétimo Programa-Quadro da Comunidade Europeia e pela Fundação Nacional de Ciência da Suíça (SNSF).

Fonte da história: Traduzido e adaptado por Genaldo Vargas com autorização do Instituto Suíço de Saúde Tropical e Público.

Referências do Jornal: Foerster M., Thielens A., Joseph W., Eeftens M., Röösli M. Um estudo de corte prospectivo do desempenho de memória de adolescentes e dose cerebral individual de radiação de microondas de comunicação sem fio. Perspectivas de Saúde Ambiental, 2018 DOI: 10.1289 / EHP2427

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Genaldo Vargas
Psicanalista, Palestrante, Professor Universitário, Viajante do mundo, curioso e eterno aprendiz..... É colunista do site Fãs da Psicanálise.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here