Dr. Sigmund Freud (1856-1939), foi médico neurologista austríaco que revolucionou a história a partir da psicanálise. Ele era demasiadamente dedicado à pesquisa científica. A compreensão do ser humano tornou-se mais acessível e curativa por meio de seus estudos e pesquisas. Freud foi gênio para o bem-estar da humanidade.

Freud, sabiamente pode ser chamado de legislador intelectual mais influente de sua época. Sua criação a psicanálise era ao mesmo tempo uma teoria da psique humana, uma terapia para o alívio de seus males e uma ótica para a interpretação da cultura e da sociedade. Apesar das repetidas críticas, tentativas de refutações e qualificações da sua obra, Freud, com a psicanálise permaneceu poderoso, eficaz, atual, progressivo, conectados com o progresso da ciência e o avanço tecnológico.

O campo de estudos científicos da era pós-moderna na psicanálise é a neuropsicanálise. A criação da neuropsicanálise, uma área do conhecimento que tenta aproveitar as descobertas sobre a fisiologia do cérebro para justificar parte das proposições de Freud. “A psicanálise não tem o objetivo de desvendar os mecanismos fisiológicos do cérebro. Isso é função da neurociência. Mas os fenômenos que emergem desses processos físicos são objeto da investigação psicanalítica”, diz o psicanalista brasileiro Yusaku Soussumi, da Sociedade Internacional de Neuropsicanálise.

O que é Psicanálise?
Em 1896, em um artigo científico publicado numa revista francesa, Dr. Sigmund Freud utilizou pela primeira vez o termo “psicanálise” para nomear um tipo de psicoterapia cujo método consiste na exploração do inconsciente a partir da fala livre do paciente e de intervenções do psicanalista. Assim, Dr. Freud desenvolveu um método de tratamento que se pode igualar a uma “arqueologia da alma”, onde o psicanalista busca trazer à luz as experiências traumáticas passadas que provocaram os distúrbios psíquicos do paciente, fazendo com que assim, ele encontre a cura.

Segundo Dr. Freud, a psicanálise é um procedimento para a investigação de processos mentais que são quase inacessíveis de outra maneira. É um método para o tratamento de distúrbios neuróticos que proporciona uma série de informações psicológicas, e que se tornou uma nova disciplina científica. A psicanálise é a ciência do inconsciente e a terapia do autoconhecimento. A arte da construção de qualidade de vida: saúde física e emocional.

A psicanálise surgi por meio da genialidade do Dr. Freud que centrou seus trabalhos nos pacientes com sintomas neuróticos e/ou histéricos. Ao falar com seus pacientes Freud acabou descobrindo casualmente que a maioria dos seus problemas era originada nos conflitos culturais, sendo então reprimidos seus desejos inconscientes e suas fantasias do à libido. A contribuição de Freud para o conhecimento humano e para os estudos mentais são inegáveis. O verdadeiro choque moral provocando pelas ideias de Freud serviu para que a humanidade rompesse seus tabus e preconceitos na compreensão da sexualidade.

Leia Mais: Por que Freud foi um visionário?

O Psicanalista e o Divã
No ambiente do Consultório Psicanalítico Freudiano deve existir o “Divã” que para o Psicanalista Freudiano representa o “Altar Sagrado da Psique da Alma ou do Inconsciente Humano”. É no Divã que o individuo se torna “sujeito” da sua própria história e vida, é sujeito falante de sua história e através da sua fala, suas queixas e vai revelando a si o seu inconsciente pela associação livre de ideias momento quando inicia sua travessia do sintoma pela fala.

O psicanalista é um profissional que tem a capacidade da escuta técnica e a habilidade científica de interagir com o paciente na real sensibilidade. O ofício psicanalítico inspira confiabilidade e confidencialidade. A longa e continuada formação, seja em novas atualizações, especializações e no divã do seu analista, faz do psicanalista um profissional que entende as patologias e sabe lidar com segredos e confissões com profundo respeito e dignidade. Tem-se no psicanalista um aliado de alma humana e um confidente que proporciona saúde física e emocional.

Atua nas perturbações caracterológicas e estados neuróticos, histeria, inadaptações, timidez, impulsividade, sentimento de culpa, desgosto obsedante, escrúpulo excessivo, ciúmes, carência afetiva, distrações desagradáveis, dúvidas persistentes, abulias, fobias, obsessões, neurastenias (inorgânicas), medos, depressões, neuroses de conflitos psíquicos e histeria feminina. Atua nas perturbações psíquicas de origem inorgânicas de fundo psicossomático. Nas incompatibilidades de fantasias íntimas e na obsessão de pensamentos negativos.

O bem-estar adquirido pela terapia psicanalítica é um processo longo, consistente e gradativo. Conectados com a educação alimentar, exercícios físicos e espiritualidade.
Afirmou Dr. Sigmund Freud: “A psicanálise nos ensina não apenas o que podemos suportar, mas também o que devemos evitar. Ela nos diz o que deve ser eliminado”.

Autor: Dr. Inácio José do Vale
(Psicanalista Clínico, PhD / Professor e Conferencista / Membro da Sociedade Brasileira de Psicanálise Contemporânea/RJ. e da Ordem Nacional dos Psicanalistas/RJ)

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.


1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here