Aposto que seu primeiro pensamento ao ler este título, foi: “Hã? O que que essa doida está dizendo? Como assim? Eu estou na bad aqui e ela falando pra celebrar? Ah, vai para …(piiiiiiiiiiiiii )”. Acertei?

Olha, eu não estou aqui para te entregar uma fórmula mágica para você fazer, engolir e ficar zerado nessa sua atribulada caminhada amorosa da vida. Não existe fórmula mágica para esquecermos daquela razão do nosso desiquilíbrio psicológico.

Ninguém vai dizer que esta dor latente que você está sentindo é fake. Porque não é. Não gostamos de ficar na bad, certo? Porque perder, é algo que o ser humano não cataliza direito ainda, são poucos os que conseguem assimilar a situação, viver o luto da perda de alguém que nos marcou e escolheu nos deixar. Sim, escolheu.

Porque entrar e permanecer são escolhas feitas racionalmente. Que não nos escolhe, acredita que nós não somos a tampa da sua panela. Então a pessoa sai à procura de outra tampa da panela e, para ela, não importa se a tampa é pequena ou não, se encaixa na panela dela ou não, se combina com a dor da panela dela, ou não, se tem o mesmo shape, ou não. Ela só acha que você não serve pra ser a tampa da panela dela e ponto. Deu pra entender? Questão de gosto. Você vai olhar pra foto da tua ex panela com a tal da tampa e vai ficar assim: What the Hell?No way! Tradução no bom português: Tá de sacanagem com a minha cara,né? Só pode!” É,dói,eu sei.

Dia 12 de junho, para quem está solteiro recentemente, ou há algum tempo, costuma ser um fardo. É comum o sentimento Radiohead “ I,m a freak. I’m a weirdo.What the hell I´m doin here. I just don´t belong here”, invadir toda a sua alma. Atire a primeira pedra quem nunca cantou canções bobas de amor e que até nutre um sentimento masoquista quando se está com o coração aos frangalhos? Por favor,viva o luto. Mas não fique ouvindo músicas tristes todo o tempo.

Faça um favor a si mesmo e evite ao máximo as seguintes músicas:

1- Carly Simon – Nobody does´t better

2- Abba- The Winner takes it all

3- Roxette – Spending my time

4- Beatles – Hey jude

5- The carpenters – Can´t smile without you

6- Marília Mendonça- TODAS

Entenda, eu sei que é duro, mas se ficar repetindo o padrão, mais demorado será para superar este término, que não só suga nossa energia mental, quanto física. O perigo da inércia emocional consiste em abraçar a fossa como se fosse um velho ombro amigo.E não é.

Quantas pessoas realmente interessantes cometeram suicídio por não aceitarem a perda? Um excesso de carência exarcerbado que provavelmente o indivíduo dava sinais há um longo tempo,talvez até a vida toda,e que passara desapercebido. O barulho ensurdecedor da multidão não permite ouvir os prantos dos que choram.

Os que sofrem, são tidos como lamuriosos. E não são. Eles só sentem demais. Mas se perguntarem se eles gostam de serem assim,tão sensíveis, e se propusessem que eles trocassem instantaneamente de personalidade, eles topariam na hora passarem por este verdadeiro exorcismo. Porque nem eles suportam mais o peso de suas dores. Engana-se redondamente também que a beleza é fator determinante para o indivíduo ser bem sucedido no amor. Longe disto! Várias personalidades interessantes e belas fisicamente, viveram as agruras de amores não correspondidos. A expressão :” Sempre a dama de honra, nunca a noiva” valeu para muitas mulheres interessantes,tidas como símbolos sexuais. Marilyn Monroe, símbolo sexual máximo, teve uma paixão e caso platônico por John . F.Kennedy, mas este escolheu ficar com a oficial, Jaqueline.

O que pode ter desencandeado o processo de exageros em remédios e bebidas,que culminou na sua morte,por overdose,aos 36 anos,no auge de sua beleza.Marilyn estava num estágio de depressão profundo, mas sempre pendera para este lado. A história do primeiro casamento de Marilyn Monroe quando ela tinha 16 anos. O símbolo sexual de Hollywood Marilyn Monroe teve seu quinhão de amantes e nenhum deles ficou por muito tempo. Ela se divorciou três vezes antes de morrer. Tudo mostra um vazio de si mesma, que ela procurava, a todo custo, preencher,tapar este enorme buraco, na forma de pessoas. Uma de suas frases mais célebres: “ Nunca serei sua meio amiga ou seu meio amor. Comigo não existem meios termos.É tudo,ou nada”. Marilyn era extremamente passional,daí,os excessos.

A você,que está enfrentando um término, te recomendo a libertação deste sentimento, em forma de catarse. Se esforce para ocupar a cabeça com coisas que te dão prazer. Quer xingar a pessoa? Que tal,ao invés disso, escrever sobre o término? Quer gritar que a pessoa foi insensível com você? Que tal juntar os amigos e ir cantar num karaokê a música “ Clean”, (Limpa),da Taylor Swift?

Separei um trecho : “A chuva começou a cair quando eu estava me afogando Foi então que finalmente pude respirar E pela manhã, qualquer vestígio de você havia partido, E acredito que finalmente estou limpa”

A música liberta e esta música ,Taylor, que direciona a dor do término para as suas melodias, é justamente a decisão corajosa e lúcida de se limpar daqueles sentimentos que não agregam. Afinal,de que adianta você se matar ,se descabelar por quem não vale um vintém? Ou que tal você aceitar que a pessoa também tem o direito de dizer : “Olha,desculpa,mas a gente não tem como ficar junto”. Sabe, no amo e na amizade,não deve existir essa idéia de posse. Porque insistimos em prender o passarinho na gaiola se ele tem asas para voar? Você tirar o direito do outro e quer que ele respeite o seu? Não! Relacionar-se é troca,cumplicidade,parceria.

Parta da seguinte premissa: se a pessoa errou com você uma vez,a culpa,é dela. SE errou duas,a culpa,é sua.

Então,antes de ficar choramingando por aí que não tem um par no Dia dos Namorados,que tal encarar isso como o novo, que está por vir? Na nossa vida,fica quem é pra ficar, sai quem tem que sair, volta quem tem que voltar. Há uma teoria defendida por cientistas e astrólogos de que o número 7 é mesmo um número de grande força. A cada 7 anos, nossa vida,muda. Nossos relacionamentos,nosso eu,passa por uma reforma,uma limpeza cósmica, como uma purificação da alma e também como forma de nos dar uma nova chance. Como se o Universo, nos enviasse sinais. Mas, precisamos também estar em harmonia mental. Osho, grande filósofo e guru indiano, diz que: “A força não está no pensamento positivo, mas 10 vezes mais no subconsciente.”

Ou seja,sofrer por alguém é questão de escolha.Viva o luto,para limpar sua alma e preparar sua mente para o novo, com o coração mais “racional”.Você sabe que a pessoa não tem intenção de mudar e você insiste. Só pare. Nós temos que ter em mente de que não se pode romantizar migalhas de ninguém, aliado a não criar expectativas. Quanto mais alta a expectativa, maior é a decepção.

Até porque,as pessoas só vão poder te dar o que elas possuem. Pessoas naturalmente mais amorosas,apegadas, serão apegadas a você,naturalmente. Assim como pessoas mais libertárias,independentes, não gostarão de perceber que você as está tentando “domesticar”. Elas enxergarão o relacionamento como um cabresto. E não mudarão sua opinião,a menos que assim queiram.O desejo de mudança deve partir do indivíduo. Não convém nutrir a falsa ilusão de que, se formos devotados ao extremo assim como a Dona Clotildes, a “ Bruxa do 71”, do programa mexicano “ Chaves”, era ao Seu Madruga,que estaremos “comprando” o Amor do outro. Não, Amor é Química, não Matemática.

Lembre-se :” Se a dor vier,que venha rapidamente. Porque eu tenho uma vida para viver e preciso vivê-la da melhor maneira possível.Se ele tiver que fazer uma escolha,pode fazê-lo agora. Então eu vou esperar por ele ou esquecê-lo.” Paulo Coelho.

Quer um conselho? Conserve a pessoa que foi embora, mas se despediu docemente. O Amor, se transforma em Amizade sim, é possível. Corte contato com quem não foi grato pelo tempo compartilhado. Não é saudável mantermos pessoas rudes em nossas vidas. Não se ache infantil ou imaturo por bloquear, deletar a pessoa da sua vida. Isso se chama maturidade. Maturidade para entender que, finalmente, você passou a se amar e a se respeitar, primeiro. O Novo está por vir! Vai ter alguém que vai ser esperto o suficiente para ser o último na sua vida.

Vai ter alguém que não vai fazer joguinhos com você. Vai ter alguém que vai ignorar todos os outros contatinhos. Vai ter alguém que vai amar fazer duetos românticos, ir ver contigo os filmes que mais gosta, compartilhar suas esquisitices, nerdices, maluquices. Vai ter alguém que vai compartilhar teus gostos literários, mas que também vai te ensinar coisas novas sobre Artes, Economia,por exemplo. Vai ter alguém que vai ser parecido e diferente de você, e isso é pra lá de bom. Porque serão complementos um do outro. Vai ter alguém que vai parar de comer no meio do lanche só parar dizer que te ama e quão sortudo é por ter te encontrado. Vai ter alguém que vai ,com todo amor brega do mundo, segurar com as duas mãos o teu rosto e dizer: Ô desgraça, onde é que você estava esse tempo todo?

Abra-se para o novo! Permita-se! Tenha em mente sempre isso. Sempre! Repita como um mantra, a cada manhã. A gratidão expurga os anseios mais enfadonhos da alma.

E então passe a encarar o Dia dos namorados como uma data como outra qualquer, porque está enamorado primeiramente, de si mesmo. Feito isso, celebre!

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Daniele Abrantes
Sou jornalista de espírito vintage, que ama compor músicas ,pintar, e escrever sobre assuntos voltados à compreensão das relações humanas e da profundidade da alma. Acredito que as duas maiores forças que possuem o poder de mudar o nosso dia a dia são o Amor e a Empatia. Grata por compartilhar com vocês esta jornada.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here