Não digo que todo conselho seja negativo e que toda brincadeira seja maldosa. Sim, existem bons conselhos de fato e brincadeiras para descontrair apenas, sem nenhuma segunda intenção. Mas, se a gente parar para prestar atenção, perceberemos que algumas pessoas, pouco ou nada agregam de bom em nossa vida.

Perceberemos que algumas pessoas, mesmo sendo gentis, em nada nos ajudam, que nada de fato compartilham com a gente e que se mantém por perto como uma força desagregadora ou simplesmente para obter alguma vantagem. Muitas vezes, algumas pessoas desejam algo material ou energético que podemos oferecer. Mas, em muitos casos, algumas pessoas demonstram uma amizade ou carinho, para criarem situações que venham a estragar a alegria alheia.

Estar feliz é o que mais queremos. Cada um tem um conceito de felicidade. Para alguns é viver o amor plenamente. Para outros é ter filhos. Para algumas pessoas é usufruir de muito tempo livre para descansar. As definições não param por aqui… muitos precisam de um mix de condições para se sentirem realmente bem. Mas, o objetivo deste artigo, não é explicar o que é a felicidade, mas sim dizer que independente da visão de mundo de cada um e das nossas prioridades, fica muito complicado estar feliz com gente nos sabotando a todo momento.

Sim, algumas pessoas criam pequenas armadilhas para sabotar a felicidade alheia, para inviabilizar a vida das outras pessoas. Nunca temi os inimigos explícitos como temo os falsos amigos.

Sim, muito pior do que um inimigo explícito, é um falso amigo. É uma pessoa que se enfronha em nossa intimidade, que toma conhecimento de informações importantes e que as utiliza para criar pequenos infernos na vida dos outros. Quem nunca conheceu alguém assim deve se considerar muito sortudo. Quem nunca agiu como um falso amigo, deve se sentir muito feliz.

Algumas pessoas mesmo sendo gentis e bastante educadas, deixam claro, por meio de meias palavras, gestos sutis e muitas omissões que não entraram em nossa vida para torná-la mais feliz. Quantas pessoas que dizem gostar da gente, não injetam dúvidas e mal estar por meio de comentários aparentemente despretensiosos?

Em quantos almoços de família ou reuniões entre amigos, não encontramos pessoas que sutilmente desmerecem as realizações profissionais dos outros? Em quantos almoços de família ou reuniões entre amigos, não encontramos pessoas que, por meio de brincadeiras, ou por meio de conselhos, não nos desmotivam ou não lançam sombras sobre o nosso relacionamento amoroso ou sobre qualquer projeto que queiramos pôr em prática?

Leia Mais: Amigo que é amigo

Não digo que todo conselho seja negativo e que toda brincadeira seja maldosa. Sim, existem bons conselhos de fato e brincadeiras para descontrair apenas, sem nenhuma segunda intenção. Mas, se a gente parar para prestar atenção, perceberemos que algumas pessoas, pouco ou nada agregam de bom em nossa vida. Perceberemos que algumas pessoas, mesmo sendo gentis, em nada nos ajudam, que nada de fato compartilham com a gente e que se mantém por perto como uma força desagregadora ou simplesmente para obter alguma vantagem. Muitas vezes, algumas pessoas desejam algo material ou energético que podemos oferecer. Mas, em muitos casos, algumas pessoas demonstram uma amizade ou carinho, para criarem situações que venham a estragar a alegria alheia.

Quantas pessoas não se aproveitam do status de amigo para destruir a relação amorosa de alguém do grupo? Quantas pessoas não se aproveitam do status de amigo para destruir a determinação de alguém mais inteligente e talentoso? Quantas pessoas não se aproveitam do status de parente pra pedir favores absurdos, como altas quantias em dinheiro que nunca serão pagas, hospedagens por tempo indeterminado ou o caso inverso: interferem na vida pessoal do parente, determinando como ele deve viver, por “apoiá-lo” financeiramente? Quantos parceiros amorosos não minam a autoconfiança do cônjuge apenas para mantê-lo servil?

Não digo que devemos desconfiar de tudo e de todos a todo momento. Nem defendo a ideia de que estão sempre fazendo uma conspiração. Apenas alerto para o perigo das falsas amizades. Sim, elas existem. Apenas peço para prestarem mais atenção nas pessoas que estão ao redor e fazerem um balanço das relações sociais.

Quando uma pessoa está sempre relacionada a momentos estressantes, a compromissos cancelados na última hora, a comentários que nos tiram o sono, a piadas que nos fazem duvidar do nosso potencial, fique atento. Quando um parente só te liga para pedir favores, quando um parente que te ajuda financeiramente vive te colocando em saias justas, quando um amigo inviabiliza o seu relacionamento amoroso, quando o seu relacionamento amoroso poda a sua individualidade, tome cuidado.

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Sílvia Marques
Profa. doutora , idealizadora da Pós em Cinema do Complexo FMU, escritora e psicanalista. É colunista do site Fãs da Psicanálise.

2 COMENTÁRIOS

  1. Sofri uma decepção monstro com uma pessoa que achei que era a minha amiga. Digo isso, pois pelo tempo que convivemos da minha parte a minha amizade sempre foi verdadeira, daquelas de se predispor a ouvir quando ela estava pra baixo, a entender coisas que pouco teriam condição de entender, de tentar levar alegria, afeto e confiança à ela. Essa pessoa me parecia verdadeira, dizia que eu era uma amiga que ela nunca teve, embora algumas vezes ela tivesse atitudes que demonstravam não valorizar a minha amizade. Mesmo assim seguia em frente, pois acreditava que a gente não tem que cobrar nada e só damos aquilo que temos. Como eu estava bem não devia cobrar nada dela, até porque ela estava passando por um momento muito difícil em sua vida tanto na parte financeira, familiar e o seu relacionamento como o marido ía de mal a pior. Mas depois do que ela fez, “a ficha caiu”!
    Simplesmente me descartou e sequer falou o motivo, nunca sofri tamanha desconsideração na vida, pois sempre tive condições de antes de seguir o meu caminho falar os motivos os quais me chatearam e dava a chance para que a outra pessoa manifestasse também suas motivações e caso assim fosse, cada um seguia a sua vida ou continuaria a amizade, porém isso não aconteceu com a gente.
    Cheguei a procurá-la em rede sociais, whatsapp, ligações, porém me ignorou. Quando encontrei com ela a última vez eu fui super gentil, carinhosa e ela me pareceu um tanto distante e indiferente, chegando me abordar com um tom agressivo e mal conversou comigo preferindo estar com outras pessoas.
    Enfim, deixo o meu desabafo e a lição que nem sempre as pessoas irão te valorizar, serão honestas e que a gente nunca sabe o que se passa na cabeça e no coração dos outros. Então prestemos mais atenção aos sinais, pois antes disso acontecer houveram sinais que eu quis ignorar. No fim das contas eu não a culpo, pois eu me traí, eu me enganei!
    A lição que fica é que continuarei sempre oferecendo o meu melhor seja nas amizades, na família, nas relações, na vida, mas jamais me permitirei me enganar como fiz. Serei a minha melhor amiga antes de tudo, me ajudando a não cair mais nessas armadilhas. Às vezes as nossas boas intenções nos cegam, o intuito de querer ajudá-la e de oferecer o meu ombro me fez achar que ela me valorizava, ledo engano! Quem precisa me valorizar sou eu mesma, antes de qualquer um.

  2. Com certeza é uma sensação muito ruim quando descobrimos que aquela amizade que acreditamos ter com alguém, na verdade não passava de pura ilusão. Acho que muitos passam por decepções nesse campo, lendo o relato acima me identifiquei também. Tive uma amizade com uma pessoa que acreditei ter consideração por mim, porém percebi de forma mais dolorosa que não. Entrei na vida dela, pois ela me convidou, no inicio me chamava para todas os programas que ela fazia, a ajudava sempre , quando tinha problemas de ordem pessoal eu buscava me colocar a disposição, seja para ouvi-la ou para fazer companhia, dava conselhos e orientações quando me pedia, enfim buscava retribuir todo carinho e atenção que ela demonstrava ter por mim. Só que ela demostrou não ter nenhuma consideração e isso ficou muito claro quando tive uma divergência com um conhecido dela e ela estava ciente que não gostaria de estar com essa pessoa, pois a tal pessoa não fora agradável comigo, porém não a proíbe de ter contato e até mesmo ser amiga do mesmo. Só que além dela se aproximar ainda mais da pessoa, ainda preteriu a minha amizade e sequer falou comigo depois, passou a me tratar com frieza e indiferença. Enfim, esse título faz todo sentido pra mim: Muito pior que inimigo declarado é um falso amigo. Verdade! Dói mais, é uma paulada de onde não se espera. Hoje de todo coração, não desejo mal algum a ela, mas me endureci com possíveis amizades, estou mais desconfiada, arredia e mais atenta ao comportamento dos outros, pois como disseram falsos amigos dão sinais que não estão nem ai pra gente, só que na ilusão de estar vivendo uma amizade verdadeira, a gente acaba ignorando aquilo que está na nossa cara. Mas foi bom, aprendi. Agora me valorizo e valorizo a minha amizade, não dando de graça à quem não sabe valorizar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here