“A linguagem criou a palavra solidão para expressar a dor de estar sozinho. E criou a palavra solitude para expressar a glória de estar sozinho” ― Paul Tillich

Assim como a felicidade, o amor é um estado de espírito. Sentir-se bem, mesmo estando sozinho (a), tem sido um privilégio para poucos. Existem pessoas que ainda insistem na teoria de que precisam de um amor para encontrar a felicidade plena. Assim como qualquer outro sentimento, a felicidade vem de dentro para fora. E não será outra pessoa que lhe trará felicidade. Acredite: isso depende exclusivamente de você.

Existe uma diferença gritante entre a palavra “solidão” e a palavra “solitude”. Solidão é quando você se sente triste por estar sozinho (a). Já solitude é quando você se sente bem mesmo estando sozinho (a). Muitas pessoas confundem o significado dessas palavrinhas. Contudo, vamos falar sobre viver a solitude, encontrando razões para sermos felizes mesmo estando sozinhos.

Relacionar-se é maravilhoso. Viver ao lado de alguém feliz e compartilhar essa felicidade a dois é indescritível, entretanto, o relacionamento não pode ser visto como única razão de sua felicidade. Antes de entrar em um relacionamento, você precisa sentir-se completo (a) mesmo estando sozinho (a). Não é o status que mudará seu estado de espírito, muito menos sua forma de enxergar a vida e as coisas lindas que ela possui.

Somos o que pensamos e o que pensamos atraímos. Se você é capaz de sentir-se feliz mesmo solteiro (a), a vida colocará alguém que enxergue as coisas da mesma forma que você.

Entenda: relacionamento é complemento. Você só encontrará alguém para complementar, quando finalmente entender que estar solteiro (a) não é sinônimo de solidão. Uma vez que você compreende isso, você estará pronto para viver uma vida a dois.

 

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Larissa Dias
Estudante de jornalismo, radialista por amor, escritora nas horas vagas. Adora dar boas risadas, costuma passar os domingos de pijama assistindo filmes e séries. Apesar de não curtir baladas, é incapaz de recusar uma rodinha de violão, e para pra cantar junto. Mesmo desafinada, garante que é simplicidade em pessoa. É colunista do site Fãs da Psicanálise.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here