As primeiras noites foram as piores. Eu mal podia respirar de tanta saudade. A seca que você deixou na minha boca sedenta por menos um beijo de despedida, quase me deixa desidratada. Foram meses de lágrimas no banho. Elas se mesclavam às gotas de memórias de seu rosto quando disse que me amava e que tinha me encontrado nesta mundo vasto de pessoas interessantes, mas não com nossa mágica essência.

As manhãs eram enfadonhas. O sol que aquecia meu rosto ao abrir a janela parecia queimar minha pele, meu rosto se tornou mais alvo porque eu me escondia da luz do dia. O barulho da multidão na rua era ensurdecedor. Eu evitava as pessoas, menos ao cair da noite. Pois era nas noites em que eu, com sorte, piada sem graça, quiçá trapaça do destino, não sei ao certo, esbarrava contigo na rua.

E mesmo que você não pudesse ser você e mesmo que eu soubesse que aquele você não era mais meu, ou talvez nunca de fato tenha sido, eu gostava de te ver, embora não transparecesse. Afinal, você me feriu e você sabe, eu tenho o meu orgulho. Antes, eu aceitava todas as suas desculpas esfarrapadas , mas eu libertei o gênio da garrafa ,então, em parte, a culpa foi minha. Eu deveria ter percebido. Naquela noite, todos lá, você, como o centro de tudo, apenas fingindo que eu era uma conhecida. Você realmente sabe interpretar muito bem. Deveria estar em Hollywood. Os melhores farsantes de sentimentos se encontram lá. E você, baby, está entre os melhores.

Naquela noite, a garota no vestido chorou todo o trajeto na volta para casa. Querido passado, como pôde? Como pôde agir tão normalmente depois de tudo? Eu fico assustada às vezes quando te “vejo” tão autossuficiente. Não é você, para mim. Bom, não o você que eu conheci. Eu achava que tinha uma conexão contigo. Sabia te traduzir nas letras. Agora, não sei mais. É um perfeito estranho. Sabe, eu tenho algo para te contar.

Eu fingi estar feliz muitas e muitas vezes enquanto tudo se desmoronava. Eu encara os dias como um grande fardo. Eu me culpei pelas escolhas equivocadas, pelo que disse e pelo que não disse. Eu te escrevi uma dúzia de cartas, depois deletava. Não conseguia te mandar porque parte de mim acreditava que foi de verdade e que poderia mudar, que poderia cumprir o que me disse lá atrás. Mas eu decidi ouvir meu cérebro, pois meu coração já estava cansado de chorar, então eu o deixei dormir, para descansar e se recuperar.,Foram muitas mentiras, muitas ilusões criadas por você que me faziam acreditar que eu era a única. Mas não. Você fazia isso com todas. Por isso, as curtidas. Era tudo uma grande diversão para você.

Burrice minha acreditar na velha “ mas eu só falo com você”. Claro que não era verdade. Nunca foi, nem nunca será. Ser mulherengo faz parte da sua natureza. Você nunca vai mudar. Sabe por que? Porque você precisa desesperadamente de atenção. Você precisa alimentar seu ego gigante. Porque você sabe que não é tudo aquilo que elas acreditam que você é. No íntimo,eu te conheço. No teu lugar mais sagrado, eu te amei. Sim, foi naquele dia. Não antes. Eu te amei na sua fragilidade. Eu te amei na sua essência. No papel colado no teu quarto. Lá, naquele instante, eu pensei: É ele.

Eu nunca fui convencional, eu te disse. Baby, não precisa impressionar ninguém com algo que você não é. Não viva recriando sonhos ,seja realidade. Ande comigo sob ela. Venha, me dê a mão. Ainda estou aqui. Eu vejo você, menino perdido. Tolo menino. Sabe, as luzes encantam, mas também cegam.

E eu cansei de esperar. Eu sei que você se despediu. Mas você também disse que talvez, quando eu estivesse com alguém, você me procuraria .Ou talvez não. Você disse que não sabia. Enfim. Eu só sei que foram extremamente doloridas as noites que passei acordada. Porque durante o dia, eu apenas tinha que ficar em pé e resolver os inúmeros problemas da minha vida. Você me deu força, disse que estaria ao meu lado, e quando eu me virei, o herói não estava mais lá. Então, eu tive que ser minha heroína e aprendi na marra a voar sozinha, mesmo chorando. Eu cochilava ao lado do celular, era patético. Adormecia, esperando um recado seu ao menos de Boa Noite ou de Bom dia. Eu não sei como você consegue ser tão doce e tão cruel ao mesmo tempo.

Me diga,baby, sua consciência o deixar descansar? Porque eu te vejo super bem e, embora me deixe feliz te ver feliz, eu me questiono se você realmente se importou comigo ou se se importa com as garotas que você seduz, da mesma forma como você fez comigo.

Sabe, eu te desejo coisas boas e tal, mas eu não te verei nunca mais com os mesmos olhos. Não leve a mal, mas agora eu me amo mais. Um dia, eu caminhei na chuva logo depois de te ver. Você mudou sua forma física, não está mais tão vaidoso. É a sua ansiedade? Ou não está podendo dar suas escapulidas? Te falo isso como amiga, sério. Sabe que me preocupo com você, apesar de tudo. Você não merece uma tecla que escrevo, mas ,você sabe, é meu jeito.

Tenho o tal do “complexo de herói” segundo os livros de Psicologia que tenho lido .É , deve ser isso . Mas eu realmente amadureci desde a última vez que nos falamos. Você se surpreenderia. Mesmo eu não sendo tão interessante quanto as pessoas que você convive agora, não importa. No fundo, eu sei que talvez você saiba que, comigo, você podia ser você de verdade. Cada encontro não é por acaso. Estamos todos conectados.

Mas eu sei que um dia você vai cansar dessa vida dupla. Mentir e fingir direto funde a cuca e envelhece uns 5 anos. Então, se você quer permanecer atraente, melhor começar a ser verdadeiro. Eu às vezes fico pensando onde você se perdeu de você mesmo. Porque sabe, você tinha tudo para ser um cara realmente bacana. Sério, você me convenceu. E eu não sei porque eu não consigo simplesmente virar as costas para todas as suas mentiras e deixar você com suas novas iludidas,mas eu me sinto meio que como sua guardiã. Talvez eu seja o Batman, apenas esperando um sinal pelo teu pedido de socorro quando você se cansar desta farsa que você montou e finalmente cair em si. Mas hoje, eu estou te esperando e torcendo pela sua vida, como sua amiga. Eu te amo, mas eu não gosto mais de você. Estranho,né?

A garota no vestido de festa chorou naquela noite, e chorou pelas ruas muitos e muitos dias ,especialmente nos locais em que via você. Meus olhos não mentem. Qualquer música, referência, já lacrimejavam meus tristes olhos castanhos. A “garota loira que chama a atenção” agora chamava atenção pelo nariz vermelho de rena do Papai Noel no último Natal. E o nariz vermelho decorou o rosto dela durante todo a primavera, verão, outono e, finalmente , congelou no inverno.

A chuva, caiu forte. A gélida noite estremeceu todo o meu corpo com as lágrimas que jorravam torrencialmente. Quando eu achava que não ia voltar mais a superfície, e estava quase me afogando, eu acordei numa bela manhã sem nenhum sinal seu. Vi uma foto sua, suspirei e então, sorri. Eu acho que, finalmente, posso dizer,baby ; estou livre.

(Imagem: Fernando Brasil)

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Daniele Abrantes
Sou jornalista de espírito vintage, que ama compor músicas ,pintar, e escrever sobre assuntos voltados à compreensão das relações humanas e da profundidade da alma. Acredito que as duas maiores forças que possuem o poder de mudar o nosso dia a dia são o Amor e a Empatia. Grata por compartilhar com vocês esta jornada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here