Todos os dias acordamos na esperança de que as próximas horas sejam as mais produtivas, agradáveis e simples possíveis, mas a verdade é que poucas são as vezes em que estamos perfeitamente em harmonia com nós mesmos e com tudo mais o que nos cerca.

Por maior que seja a busca por equilíbrio emocional, parece sempre haver algo capaz de atrapalhar – mesmo que por apenas alguns segundos – nossa paz interior, e interferir diretamente em cada decisão a ser tomada a partir daquele instante.

Há os problemas no trabalho, que claro, todos sabemos não devem ser levados para casa, mas diga-me se for capaz: como ter uma mesma cabeça para todas as situações e não misturar os pensamentos que estão dentro dela?

Há as insônias que parecem vir de algum lugar distante, mas que na verdade são provenientes daquilo que está perto o suficiente para nos fazer fugir ao invés de encarar frente a frente a raiz do excesso de perguntas que inunda todo e qualquer silêncio.

E remexendo o interior não é difícil encontrar uma ferida que apesar de fazer muito tempo, ainda sangra se for remexida. Ah, as nossas feridas!

Não foi somado ainda o total de danos causados por nossa negligência em tratar dessas feridas antes que elas criem uma casca grossa que parece ser cura, mas na verdade é apenas isto: casca, e toda casca pode ser arrancada, não importa o quanto esteja grudada.

Toda pessoa – por mais sã que pareça ser – traz consigo as marcas das batalhas diárias travadas em casa, no ônibus, no trabalho, na faculdade e em qualquer outro ambiente onde haja outros seres humanos. Só conhece a própria dor quem a vivencia, da mesma forma, apenas quem sente o ardor é capaz de curá-lo.

É triste partir a cara, e desesperador o partir do coração, mas não há nesta terra alguém que ainda não tenha se partido por inteiro devido a uma decepção, uma traição, desilusão, ou simplesmente por acreditar demais.

Mas o fator mais importante não é estar partido, e sim o processo de reconstrução. O que determina sua próxima etapa é a forma como você se permite adentrá-la, e não o que aconteceu na etapa anterior.

Você pode permanecer despedaçado, como um espelho que após ser balançado pelo vento caiu, e ficou no chão esperando que alguém recolha seus cacos e adorne a parede com outro, mas isso não lhe trará nada além de um imenso vazio por perceber que você não é um espelho, e por tanto, ninguém vai retirá-lo do chão.

Você é uma pessoa, e pessoas conseguem se levantar sozinhas. Pessoas às vezes necessitam de um período de reclusão para absorver o que aconteceu e se recompor, mas este período não dura para sempre, a menos que você o eternize.

O que estou dizendo é que sim, você pode sentir a sua dor. Na verdade, você deve senti-la, e absorver o máximo que puder desta situação, pois isto o fortalecerá para outras coisas, e fará com que situações que antes pareciam ser tão angustiantes, passem a ser menor em proporção de sofrimento, porém, você não pode fechar todas as portas de sua vida para o sol, e ficar mofando seu coração.

É preciso se levantar, e colar com as próprias mãos cada pedacinho do seu coração e também da sua cara, e é claro que de início haverá muitas rachaduras, e espaços um pouco mal colados, mas isto não pode lhe impedir de viver.

Quando se cola um objeto quebrado, é preciso expô-lo ao sol para secagem; da mesma forma, quando colamos a nós mesmos, precisamos do calor do sol, das pessoas, das risadas, dos abraços, e de toda outra forma de luz a qual pudermos ser expostos, para que a secagem ocorra de maneira mais fácil e eficaz.

Permanecer escondido em suas emoções e sentimentos não lhe poupará de mais uma vez se frustrar. O mundo é composto por pessoas, e cada um de nós tem sua formação, ideias e opiniões, por isso, constantemente nos surpreendemos com o outro; estamos sempre esperando algo de alguém, quando não sabemos ao certo nem mesmo o que somos capazes de fazer.

Junte seus pedacinhos – cada um deles – e comece a se reconstruir, se possível ainda hoje. Desprenda-se do que passou, e pouco a pouco volte a amar tudo que há em você. Vai levar algum tempo até as coisas estarem em dia, mas quando terminar o processo, você vai perceber o quanto cada dia vivido valeu à pena.

Quando olhar para trás você vai encontrar uma pessoa que um dia foi destruída, mas que conseguiu se levantar, e que não desistiu de ser feliz apesar das muitas circunstâncias contrárias ao seu redor, e isso encherá seu coração de felicidade.

Não desista de lutar por você, e de forma alguma deixe de acreditar no seu potencial, independente da área de sua vida que foi afetada pelo que aconteceu. Você não é o que dizem de você; você é o que faz por si e pelos outros.

Lembre-se: só se mantem inteiro quem já teve cara e coração partidos, então, saiba que você é capaz de não cair quando um novo abalo vier.

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Raquel Gonçalves
Há quem diga que os olhos são a janela da alma, então, no meu caso, eles são uma janela bem grande e aberta. Amante das artes, do universo e das palavras, necessito de música para viver, dos astros e estrelas para pulsar e dos versos para existir. A publicidade me escolheu; por isso anuncio paz, promovo sorrisos e transmito intensidade. Sou colunista do Fãs da Psicanálise.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here