Li uma frase esses dias que dizia: “bom dia‘ é muito mais do que duas palavras comuns. E comecei a refletir sobre o assunto ontem, pois entendi o que isso significa.

Quando você deseja um bom dia para alguém, olha a profundidade disso, você está esperando que aquela pessoa tenha um dia bom.

Tem muito “bom dia”, mas pouco desejo de um “dia bom”, saca isso? As pessoas estão tão centradas em si mesmas, tão envoltas com seu umbigo que não enxergam o outro direito.

A vida não é um quadrado cheio de espelhos. O “outro”, e esse pode ser qualquer um, sente as mesmas coisas que você, pode acreditar. Sente dor, frio, medo, alegria, ele chora, ele ri, ele também se machuca. O outro existe, pasmem! E o outro pode estar em qualquer canto, na sua portaria sentado, na banca de revistas, em pé no ônibus que você pega todo dia ou dentro da sua casa.

Ele gosta de abraços e, vejam só, ele também precisa de compreensão, de colo, de um afeto ou só de um elogio para lembrar que vale a pena seguir em frente. Outra informação importante: a gentileza não custa nada, nada mesmo. No seu bolso, pelo menos, ninguém vai mexer.

No máximo um tempo a mais no seu dia, um segundo a mais na sua hora, entende? Penso que o grande problema da gente, e me incluo nessa também, é achar que somos superiores, que nossos problemas são maiores. Ou, pior que isso: não dar valor ao sofrimento alheio (esse, graças a Deus, eu não faço).

Todo e qualquer sentimento vivo tem importância, tem um motivo, causa algo em alguém. Pode ser bom, pode ser ruim, pode ser nada disso. Porém, causa.

Não é difícil olhar pro lado, acho até mais fácil do que olhar pra baixo, onde está o seu umbigo. Quem muito olha pra baixo acaba com torcicolo. É preciso valorizar a dor do outro, entender que não somos sós nesse planeta, menos ainda nesse mundão de meu Deus.

Distribua um sorriso, uma palavra bonita, um abraço, doe um pouco do seu tempo para um amigo, cuide do seu amor, das pessoas que foram e são, dos que virão.

Seja bom com as pessoas.

Enfim, após a minha conclusão sobre o verdadeiro sentido do bom dia, eu desejo a vocês um baita de um dia bom.

*Título original: “A vida não é um quadrado de espelhos”

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Ju Farias
Ju Farias é jornalista, poeta e escritora. Autora do livro Com licença, posso entrar?, que já está esgotado nas livrarias, a gaúcha já prepara o lançamento da sua segunda obra, com título provisório de "Cá entre Nós". É colunista do site Fãs da Psicanálise.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here