Quem nunca acordou no meio da noite pensando naquele problema que não conseguiu resolver?

Ou sentiu dificuldades para dormir no dia anterior a um evento importante? Ou ainda acordou bem antes do horário programado no seu despertador?

Sim, isso é mais comum do que gostaríamos.

A alteração do sono é um dos primeiros sintomas diante de um quadro de estresse.

O estresse aparece com situações novas, que precisamos solucionar ou nos adaptar.

Leia mais: O que fazer quando estamos sufocados pelo desgaste e estresse emocional?

É um momento de desequilíbrio que pode ser ocasionado por algo positivo como uma festa, casamento, nascimento de filhos, ou ocasiões desconfortáveis como demissão ou diagnóstico de doença grave na família.

Condições que exigem maior esforço emocional para serem enfrentadas, justificando o fato de ficarmos mais alerta.

Durante o estresse o organismo produz a adrenalina necessária para encararmos tais circunstâncias, deixando-nos prontos, cheios de energia e sem sono, a fim de buscar uma resolução e/ou adaptação.

Leia mais: Insônia

É comum que nessa fase alguns sintomas comecem a aparecer como tensão muscular, irritabilidade e insônia.

De acordo com a duração dessas situações, o estresse passa a ser prejudicial. Ou seja, se não conseguirmos retomar o equilíbrio, os sintomas poderão se agravar.

Pensando que não conseguimos eliminar o estresse, é necessário o desenvolvimento de habilidades para lidar com tais acontecimentos, com menos prejuízo possível.

Para isso é importante saber o que te deixou estressado, e agir com a finalidade de encontrar maneiras eficientes de evitá-los ou resolve-los.

Leia mais: 5 dicas para dormir mais rápido – mesmo que você esteja estressado

Sabe-se que uma boa noite de sono é essencial para nos manter revigorados e lidar com os desafios diários. Quando a dificuldade para dormir passa a ser constante, o rendimento será afetado. Antes de dormir precisamos relaxar! É importante reduzir a adrenalina produzida para garantir um sono reparador.

Precisamos desacelerar para que o organismo entenda que é hora de dormir. A melhor maneira de fazer isso é manter o ambiente calmo, com pouca ou nenhuma luz, sem muitos estímulos e o mais confortável possível.

É recomendado estabelecer uma rotina para a hora do sono, com horários e hábitos regulares.

Leia mais: Crianças sem rotina para dormir têm mais problemas de comportamento

Está comprovado cientificamente que a prática de atividade física regular é muito eficaz na redução do estresse e traz grandes benefícios na hora do sono, desde que não seja muito próxima ao horário de dormir, sendo uma alternativa de manejo.

A qualidade dos alimentos também pode contribuir para uma boa noite. Uma alimentação balanceada, principalmente à noite, pode ser fundamental para um sono de qualidade.

Devemos evitar os alimentos estimulantes e os que contêm cafeína, como chá mate, chá verde, café, refrigerantes, chocolates, castanhas, nozes e amendoim, assim como o consumo de bebidas alcoólicas.

Leia mais: Respeite o seu perfil cronobiológico e tenha uma boa noite de sono

Além disso, exercícios de relaxamento, como meditação, alongamento, banho quente e técnicas de respiração, podem ser de grande ajuda antes de deitar. Caso o sono continue ruim, vale a pena uma avaliação profissional, com um psicólogo para a melhor condução do tratamento.

(Autora: Fernanda Codatto – Psicóloga)
(Fonte: einstein.br)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA