De repente você percebe que aquela amiga (o) dos momentos de café, baladinha e conversas está interferindo na sua vida diária. Não são apenas conselhos para os seus conflitos ou palpites no seu cotidiano, essa pessoa exige a sua atenção frequente e questiona quando você não aplica aquilo que ela acha que deve ser feito.

Acontece que algumas vezes não há consciência de que essa amizade está sugando as suas energias e você insiste em manter esse vínculo acreditando que a amiga (o) somente quer o seu bem. Mas não se iluda, existem amizades possessivas e tóxicas, onde compartilhamos da nossa vida com pessoas absorvedoras de energia e que acabam convertendo um sentimento genuíno e valioso em uma fonte de cobranças e possessão.

A amizade absorvedora requer exclusiva atenção, são pessoas ciumentas, possessivas, que não aceitam que você dê crédito ao que outra pessoa fala, nem mesmo que você prefira conversar a sós com alguém que não seja ela. Com isso nossos interesses pessoais acabam drenados e as necessidades individuais dependem do aceite dessa amizade.

Não há diálogo possível. Quando conversamos e até recriminamos as exigências dessas pessoas elas dizem que fazem isso para o nosso bem, o que nos faz questionar se a nossa atitude é a mais adequada, alimentando o nosso sentimento de culpa para ir ao encontro da sua vontade.

A verdade é que há a possibilidade de que essas pessoas não nos queiram fazer mal de forma consciente, além disso, também é provável que nós mesmos, em algum momento, nos tenhamos convertido em possessivos e tóxicos. A atitude egoísta dessas pessoas pode ser explicada pela falta de autoestima e por um estado emocional negativo crônico que procuram suprir da única maneira que sabem: tornando suas as pessoas que as rodeiam.

Identificando os “predadores emocionais”
Você conhece os predadores da natureza? Pois o comportamento é idêntico o dessas amizades tóxicas. A coação da nossa liberdade emocional e relacional funciona como a predação. Os “predadores” emocionais procuram por pessoas que estejam em evidência, aquelas que possuem as características que todos desejam: amabilidade, carisma, força de vontade, etc.

Como já sabemos, quem a boa árvore se encosta, boa sombra o acolhe. Por isso, estas amizades possessivas e tóxicas aproximam-se da boa essência dos seus amigos, maquiando as suas ações com a bandeira da amizade verdadeira.

Leia Mais: Não era amizade, era apenas interesse

Você deve ter em mente e levar para a sua vida o seguinte: uma amizade verdadeira não é aquela que nos impede de crescer, mas sim aquela que alimenta o equilíbrio e o bem-estar. Assim, podemos enumerar algumas características de amizades que nos fazem mal:

– Abusar emocionalmente dos outros;
– Manipular o amigo para ter exito nos seus interesses individuais;
– Aproveitar-se da confiança para deixar o “amigo” sem proteção emocional;
– De vez em quando ter alguns gestos de bondade que tentam reparar a infelicidade provocada;
– Criticar de forma impetuosa e impiedosa as questões que fazem mais dano;
– Retirar o apoio quando convém;
– Dar sustento para a dependência emocional;
– Recordar os erros do passado e usar da chantagem;
– Não assumir a responsabilidade dos nossos atos.
– Humilhar e menosprezar de maneira sutil;
– Ser ciumento quando a pessoa faz novos amigos;

vampiros de todas as idades e condições. Habitualmente são pessoas próximas de nós que usam o seu poder de manipular emocionalmente para satisfazer suas necessidades pessoais de auto conservação e como um meio de aumentar a própria autoestima debilitada.

Pode ser que sejam amizades de longos anos e que a intensidade das experiências vividas impeça de ver essas características tóxicas. Essas pessoas têm dificuldade para aceitar uma confrontação direta, por isso fogem quando algo as incomoda ou não se encaixa com os interesses do seu ego carente, procurando usar isso em outra situação mais apropriada às suas necessidades.

Além disso são dramáticas, para provocar a culpa investem no discurso de que se sentem vítimas, de que só querem o bem, de que estão sendo menosprezadas, enfim, fazem de tudo para atrelar o outro à uma dívida emocional sem fim

As amizades saudáveis e benéficas são o contrário disto. São as que nos deixam livres para ir e nos dão motivos para ficar, são as que propagam a sensibilidade e a emocionalidade de maneira equilibrada e genuína. Distancie-se do que o afasta de você mesmo.

(Imagem: Mike Fox)

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here