Woman holding senior woman's hand on bed

Ajudar os outros ou “fazer aos outros” pode ser uma das melhores coisas a fazer por você mesmo!

Acontece que praticar serviço voluntariado para ajudar uma organização, colega ou amigo, oferecendo ajuda, não só faz você se sentir bem, é bom para você. Pode ajudá-lo a viver mais e mais feliz!

Como? Endorfinas, aquele químico cerebral maravilhoso que é produzido quando você faz aquela corrida de cinco quilômetros, o que coloca você no estado que os atletas chamam de “High Runner’s”.

Você pode experimentar um sentimento similar quando ajuda alguém! Esse estado leva o nome de “Helper’s High” (euforia que acontece quando você faz obras de caridade) que, segundo a teoria psicológica afirma: fazer atos de bondade produz uma versão natural e leve da morfina.

A ajuda pode ter todos os tamanhos e formas, grandes ou pequenas. O tamanho, ou a quantidade dessa ajuda não é importante como o gesto de realmente querer ajudar. A ênfase está na parte “genuína”.

O receptor, quem você ajuda, percebe e é tocado pela sua sincera oferta, não importa para o que serve. Eles sentem maior conforto e menos estresse. O doador ou ajudante, por sua vez, experimenta um profundo sentimento de satisfação, de alegria, de prazer, de felicidade, que também diminui seus níveis de estresse. Faça isso com bastante frequência e isso pode aumentar sua expectativa de vida.

Por quê? Há um corpo de pesquisa relativamente recente sobre telômeros (extremidades dos cromossomos, as estruturas das nossas células onde fica empacotado o DNA), que mostra o estresse a longo prazo que não só encurta estas extremidades como pode levar a morte. Assim, desenvolver um estado emocional positivo – oferecendo o seu tempo, um sorriso caloroso, um toque empático – pode aumentar a probabilidade de você ficar vivo por mais tempo.

Leia Mais: Podemos ajudar apenas pessoas que querem ser ajudadas

Por outro lado, gestos vazios trazem resultados vazios. Isso porque as pessoas querem se sentir apoiadas, em vez de se sentirem como se estivessem de escanteio ou que estão sendo um fardo, o que faz com que elas se sintam culpadas. Se você está pensando em alguma maneira significativa de servir, primeiro, ofereça ajuda a alguém conhecido ou a um grupo. E, então, faça de coração.

A gratidão do ajudado é o que você receberá quando der algo de coração, ou seja, um ato de bondade gracioso. Também lhe dará o valor agregado que é de estar em contato com o propósito de sua vida.

“O propósito da vida é ser útil, ser honrado, ser compassivo, fazer alguma diferença e viver bem”– Ralph Waldo Emerson.

(Autora: Jennifer Delgado Suárez)
(Fonte Original: rinconpsicologia)
*Texto traduzido e adaptado por Carolina Marucci, da equipe Fãs da Psicanálise.

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here