Suicídio ainda é um assunto tabu, mas que atinge a sociedade todos os dias, mesmo em silêncio. Isso se deve em parte a todo o sentimento que envolve uma tragédia como essa.

Quando alguém que amamos decide por um fim à sua vida, muitas vezes é difícil para nós entendê-lo. Não importa quanto tempo pensemos sobre isso.

No momento em que nossa mente processa o que aconteceu, ela se enche de milhões de perguntas e dúvidas. Havia outras escolhas possíveis que não permitissem que a pessoa tomasse essa decisão? Aceitar que a pessoa que amamos decidiu nos deixar é realmente difícil para a mente humana entender.

O choque que nos atinge com força pode durar muito tempo. Nesta cena sombria, a descrença aparece e pode durar muito tempo. Haverá também negação. “Ele não queria ir, algo deve ter acontecido porque ele não queria ir. Não, eu não acredito nisso. Ele não teria deixado seus pais assim.”

O suicídio nos dá um sentimento de culpa que é muito convincente

Alguém que passe por um evento trágico como esse, fica procurando uma explicação, querendo entender o porquê, que motivo levou seu ente querido a tomar uma decisão tão radical como essa.

E nos passa mil coisas pela mente, exceto a explicação que nos convença, que nos ajude a entender e aceitar. Passamos a ter a sensação de que não éramos importante o suficiente, que não amávamos ou éramos amado o tanto necessário para servir como desestimulo ao praticante de tal ato.

E nos sentimos traídos ou tratados injustamente. E bate aquele sentimento de culpa, uma dor que pode nos torturar pelo resto das nossas vidas. Assim, quem comete um ato desses, não acaba apenas com a sua própria vida, acaba arrastando nisso muitas outras vidas que nunca mais serão as mesmas.

O certo é que se culpar por achar que podia ter impedido, se martirizar tentando entender não vai mudar o acontecido e muito menos aliviar a dor. Nem sempre podemos servir de freio para impedir que uma pessoa faça algo que ela já se decidiu por fazer, tampouco cuidar de outra vida, além da nossa, como se fôssemos “anjos da guarda”.

Se houve ‘sinais’ e você não percebeu, lamentar por ter sido desatento é normal, mas se culpar por isso como se a sua atenção pudesse ter sido a tábua de salvação não é justo com você, porque, acredite, uma pessoa que quer morrer, porque não pode mais lidar com o tormento da vida, encontrará um caminho, sempre que puder, de qualquer maneira.

As pessoas que ficam para trás muitas vezes sentem raiva e preocupação

Esta é a dura verdade que você deve aceitar, sem se culpar. E também deve fazer isso sem se ater ao sentimento e crença de que você é responsável por sua perda. É um trabalho interior que você deve levar a sério desde o início. Pois sentimentos de culpa irracionais e irreais podem fazer com que essa dor que você experimenta seja apenas mais longa e difícil.

A raiva em relação à pessoa morta também é um sentimento humano que ocorre com muita frequência. “Como você pôde me deixar aqui? Você nem sequer pensou em mim por um segundo antes de fazer isso? “Nossos espaços vazios estão cheios de uma espécie de ódio.

Raiva sobre algo inexplicável é um dos sentimentos mais difíceis de lidar. Não podemos sequer descarregar em alguém, porque não há ninguém para culpar.

Quando você experimenta uma experiência como essa, a preocupação é sua maior companheira inseparável. Quanto tempo durou a dor dele? Ele teve algum arrependimento por um momento? Ele pensou em renunciar? E o eterno, desencorajador PORQUE.

É o tipo de questão incerta que não pode ser resolvido facilmente. Requer muito trabalho interno para poder processá-la de uma maneira um pouco mais pacífica.

O medo de que isso aconteça com outro ente querido paralisa a vida

O medo também se mostrará … o medo de que alguém que você ama faça o mesmo. O medo que causa culpa entre alguns de nós pode ser também insuportável. Em última análise, esse medo assumirá grande parte da vida das pessoas. Elas tentam antecipar cada pequena forma de sofrimento apenas porque pode levar a outra tragédia.

E por último mas não menos importante, existe … o estigma. Porque muitas famílias sentem o vazio em suas vidas. Elas têm vergonha porque “não foram capazes” de evitar essa tragédia. Isso cria um silêncio, é um enorme tabu com o qual esse tipo de morte anda de mãos dadas.

Todos estes são sentimentos naturais e completamente humanos que devemos analisar e reconhecer. É natural que experimentemos todos esses sentimentos. Mas devemos garantir que ponhamos fim a todos os nossos sentimentos irracionais de culpa e vergonha.

Porque eles não precisam estar lá. Desta forma, podemos finalmente parar este silêncio que nossa alma corrói. Porque nossa alma precisa falar, expressar e sentir que ela não está sozinha.

(Fonte Original: verkenjegeest.com)
*Texto traduzido e adaptado pela equipe Fãs da Psicanálise.

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here