Os narcisistas só têm empatia com as pessoas que estão próximas. Este comportamento é especialmente duro a nível afetivo por uma realidade muito evidente: não pedem desculpas pelas suas queixas, danos ou erros cometidos.

A pessoa narcisista pode parecer encantadora de longe, pode parecer segura de si mesma e até atenta quando tem um objetivo em mente. No entanto, há algo que ela quase nunca faz, principalmente em relacionamentos: pedir desculpas, assumir danos, reparar erros.

Os especialistas no tema dizem que isso se deve a uma atitude egocêntrica e dominante, onde nem sempre existe um vislumbre claro de empatia.

Em nossas relações de amizade, relacionamentos, entre colegas de trabalho e família, são comuns os desentendimentos e as desavenças pontuais. Às vezes, e quase sem ter consciência disso, podemos ofendê-los e causar algum dano. Nesses casos, não hesitamos em pedir desculpas sinceras para reconstruir esse vínculo e aprender com o que aconteceu. O objetivo é que isso não volte a acontecer.

Assim, quanto mais inteligência social e emocional, maior é a predisposição não só a pedir desculpas, mas também a fazer isso de forma eficaz. Nestes casos, a pessoa hábil nestas competências faz uso de uma clara abertura emocional, uma grande sinceridade e desejo verdadeiro de reparar o que aconteceu.

Mas, o que acontece no caso dos narcisistas? Estudos como os realizados por Joost M. Leunissen e Constantine Sedikides, da Universidade de Nottingham, deixam bem claro: este tipo de perfil nem sempre experimenta um sentimento de culpa pelas transgressões cometidas.

Isso faz com que, mesmo que a pessoa se sinta “socialmente” pressionada a dar o primeiro passo para reparar a situação, o ato de fazer isso provoque contradição, resistência e até mesmo sofrimento por ir contra seu próprio ego. Vejamos mais dados a respeito disso a seguir.

A pessoa narcisista e o ato de pedir desculpas

Masterson (1981) recorda-nos que a personalidade narcisista se situa em uma linha contínua. Este perfil vai desde o que se considera como normal (onde há uma regulação mais ou menos adequada da autoestima), até o extremo já patológico que define o Transtorno Narcisista da Personalidade.

Neste último caso, essas pessoas precisam construir e proteger a imagem de um “eu” claramente superdimensionado. Com isso, conseguem proteger essa peça interna tão fraca e quebrada: a autoestima. Aspiram, portanto, a oferecer uma imagem de elevada eficácia, de perfeição e endeusamento.

O que acontece no momento em que o narcisista comete uma transgressão? O que acontece, por exemplo, quando seu parceiro repreende sua falta de respeito, as palavras depreciativas, o egoísmo ou a falta de atenção?

O que acontece de fato é simples: ele não pode assumir estas falhas. Fazer isso faz com que a pessoa narcisista entre em conflito com essa imagem de perfeição que se esforça para manter.

O narcisista ama pessoas “espelho” nas quais possa refletir a si mesmo, não admite contradições.

Andrew P. Morrison é um dos maiores especialistas na personalidade narcisista. Assim, em sua introdução Essential Papers on Narcissism, ele indica que os narcisistas buscam, antes de tudo, pessoas “espelho”.

Os narcisistas preferem tipos de relações onde a outra parte se limita a refletir suas virtudes. Deseja, por assim dizer, que os demais atuem como o espelho mágico da madrasta malvada da Branca de Neve, que repetia diariamente que ela era a mais bonita do reino.

Se, em algum momento, este espelho se rebelar e falar de suas falhas, erros e palavras depreciativas, o narcisista dificilmente pedirá desculpas.

Ele não vai fazer isso porque não tem um sentimento de culpa. No caso do Transtorno Narcisista de Personalidade, é comum que a empatia seja muito baixa. Portanto, o narcisista não consegue entender o motivo da outra pessoa estar doída ou preocupada.

Além disso, em vista de que este perfil entende as relações como meros vínculos ou transações das quais pode obter “benefícios”, poderá dizer para a outra pessoa que este é um problema dela, que ela não tem nada a ver com isso.
Estas dinâmicas, como bem podemos imaginar, podem ser muito nocivas nos relacionamentos.

O narcisista te fará acreditar que o erro foi seu

Nós sabemos que pedir desculpas é um passo que o narcisista não dará. Entretanto, pode acontecer algo ainda mais complexo e contraditório.

Este tipo de personalidade, embora não pensemos que sofre muito, sofre de forma intensa, pois sempre se sente frustrado e amargurado. Sua baixa autoestima os coloca de forma contínua num campo de batalha no qual tentam lutar com a armadura mais dourada e com a maior coroa do reino.

Essa necessidade de aparentar perfeição, eficácia e endeusamento acontece cara a cara com uma realidade que não tolera estes tipos de atitudes.

Entretanto, algo que costuma acontecer com grande frequência nos relacionamentos é quando a outra pessoa exige desculpas por uma situação e, então, o narcisista tentará fazer a pessoa pensar que o erro foi dela, não seu. A razão para isso?Por não entender, por não ver as coisas do mesmo modo, por ser fraco ou inclusive ignorante…

Assim, e quase sem perceber, as coisas mudam. Não podemos esquecer que as pessoas com transtorno narcisista são hábeis manipuladoras, por isso é muito possível que sejamos nós quem vai pedir desculpas a eles…

O que fazer com os narcisistas que não querem pedir desculpas?

É conveniente voltar ao que falamos ao início. Existem muitos tipos de narcisistas; estamos diante de uma linha contínua que vai da menor até a maior intensidade, onde cabe mencionar, por exemplo, os narcisistas psicopáticos.

Neste caso, são perfis que aparentam ser claramente normais e funcionais, mas são tremendamente efetivos na hora de danificar emocionalmente os demais.

Os narcisistas precisam de ajuda especializada. Precisam de uma intervenção terapêutica com a qual possam trabalhar seus raciocínios antissociais, sua autoestima, seu sonho de superioridade, aceitação de suas próprias imperfeições, sua empatia, etc. Devem ser plenamente conscientes do dano que exercem com seus comportamentos e atitudes.

Por nossa parte, na convivência cotidiana com um narcisista que se nega a pedir desculpas, só cabem duas opções: ou há respeito, ou não há; ou daremos a ele a oportunidade de mudar e procurar a ajuda de um especialista, ou levaremos em consideração a possibilidade de estabelecer uma distância.

Em muitos casos, e dependendo sempre de cada subtipo de personalidade narcisista, podemos obter grandes avanços e melhoras.

Sendo assim, não perca a esperança. Se você tiver um familiar, um parceiro ou um amigo com este traço, faça com que ele tenha consciência do impacto de seu comportamento e da necessidade de buscar ajuda.

Fonte: amenteemaravilhosa

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here