Microrrevoluções é o poder que cada um tem de começar grandes mudanças a partir de pequenas ações. A frase: “Sabendo que não pode fazer tudo, mas o pouco que faz muda. E faz o outro mudar também.” explica bem.

Sabemos que não podemos mudar o mundo, mas com cada microrrevolução a gente muda o nosso universo e influencia as pessoas ao redor a revolucionarem a vida delas também.

Então a gente quer te convidar a começar as suas próprias microrrevoluções. São pequenas ações, mudanças de hábito que trazem efeitos positivos instantâneos e a longo prazo.

Se você não tá sabendo por onde começar, pode dar uma olhada nessas 10 dicas:

1 – Organize seu armário.
Mas organize de verdade. Tire tudo de dentro e só devolva o que realmente usa. Doe as roupas que não quer mais.

2 – Dispense remédios industrializados sempre que possível.
Cuidar do corpo de forma natural tem muitas vantagens. Você começa a se conhecer melhor e não se expõe a medicações com bulas cheias de efeitos adversos sem necessidade. É muito comum recorrer pro comprimido no primeiro sinal de cólica, mas que tal deixar a cartelinha de lado e colocar uma bolsa de ervas bem quentinha sobre o útero e relaxar?

3 – Adote, não compre.
Procure abrigos ou ONGs que tiram bichinhos das ruas para adotar. Dê uma chance a um animal que já passou por poucas e boas e precisa de amor e cuidados. Se você já é adepto da adoção, converse com os amigos sobre isso. Mostre como todo mundo sai ganhando.

Leia Mais: Mudança de Vida!

4 – Aprenda a dizer “não”.
Para o canudinho, para a sacolinha, para o brinde que você não vai usar, para a sua via na compra com cartão. Esses atos simples já dão uma boa reduzida no lixo que você gera. Quer ter uma ideia? Lembre de quando você chega em casa no fim do dia com a bolsa cheia de lixo e tente pensar em quais lixos são esses.

5 – Declare a sua independência gastronômica (ou quase isso) plantando temperos e verduras numa horta em casa.
Se conseguir conversar com os vizinhos e criar uma horta coletiva no condomínio, melhor ainda. Dê adeus aos agrotóxicos e leve mais saúde para o prato. Pra te ajudar a começar a plantar hoje mesmo, a gente tem um calendário de plantio pra esse ano.

6 – Seja curioso.
Se pergunte quem fez as coisas que você compra. Valorize quem é transparente na hora de investir o seu dinheiro.

7 – Se jogue na economia colaborativa.
A base desse modelo econômico é compartilhar ao invés de comprar. Hoje tem até aplicativos pra ajudar a entrar nessa. Você também pode participar de serviços de guarda-roupa compartilhados, organizar esquemas de caronas com colegas de trabalho e por aí vai.

8 – Dê preferência às marcas feitas no Brasil.
Consumir marcas 100% brasileiras é uma forma de dar força à economia local, resgatar a autenticidade da moda brasileira e ainda promover empresas que trabalham com produção ética e sustentável.

Leia Mais: Subjetividade: um caminho para verdadeiras mudanças

9 – Comece a usar coletor menstrual.
Quando você dá uma chance para o copinho e dispensa os absorventes descartáveis, deixa de ser mais uma alimentando as toneladas de absorventes que vão para aterros sanitários todos os dias. Além disso, para de financiar empresas que fazem testes em animais. Os coletores menstruais são, a longo prazo, opções mais econômicas e alguns especialistas apontam como mais higiênicos e seguros à saúde.

10 – Faça uma composteira em casa.
Compostar é reduzir até pela metade o lixo orgânico produzido em casa, além de aliviar a situação dos aterros sanitários.

Pode começar com um ítem da lista, vai no seu ritmo.

(Fonte: insectashoes)

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise

A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here