Ela está resolvendo pendências, fazendo faxinas, arrumando suas bagunças tão preservadas, limpando todos os cantinhos, principalmente aqueles que foi esquecendo dia após dia… aqueles que passam despercebidos, mas que acumulam grandes sujeiras.

Demorou-se demais para agir, mas percebeu que não pode fugir mais desse enfrentamento. Talvez, depois disso, ela possa ver mais claramente o que agora não vê e poder enfim, encontrar novas possibilidades. Compreendeu que não adianta insistir no que não tem jeito. Demorou, mas hoje ela sabe disso!

Assim, amanheceu faxinando sua alma. Decidiu jogar velhos hábitos fora, excluindo o que deve, consertando o que pode ser reparado. Ela não quer mais ter coisas mal coladas, desgastadas e sem finalizações. Aceitou que o que se quebrou, nunca mais ficará igual, mesmo que quisesse… Entendeu que até ela se remendou e não é mais a mesma. Leva consigo as cicatrizes e tem até um certo orgulho delas.

Mostram que as feridas, por maiores que sejam, podem sarar. O invólucro ficou diferente, porém a diferença maior foi dentro dela. Sim, ela mudou! Decidiu encerrar ciclos, não importa se as coisas não saíram como ela queria.

Importa é continuar depois que uma história acabou, pois existem outras para começar. Pensar assim e isso a fez mais forte. Deu a ela outro sonho para sonhar e coragem para ser feliz. Sabe que ganhando ou perdendo, aprendeu e evoluiu. E isso não tem volta!

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Layde Lopes

Assistente Social por formação, psicanalista por vocação, coach por opção, practitioner em PNL por missão e escritora por paixão. É colunista do site Fãs da Psicanálise.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here