Parece que “antes só do que mal acompanhado” é um tremendo clichê, e justificativa de quem está sozinho há muito tempo. Mas é a maior verdade!

Ninguém precisa justificar o motivo de estar sozinho. As pessoas devem ser livres para escolher o que é melhor pra elas: estar em um relacionamento ou estar só.

De que adianta esse desespero de querer alguém ao lado? O desespero e a pressa, são inimigos da perfeição. Claro que não existem pessoas perfeitas, mas existem pessoas da qual valem a pena entender e conviver com os defeitos.

Mas pra que essa correria de precisar estar ao lado de alguém? Por que essa cobrança e preconceito pelos solteiros? Essa cobrança que cresce conforme os anos vão passando de pessoas que acreditam ser impossível ser feliz sozinho.

Deixem os solteiros. Deixem os que escolheram ficar sozinhos, porque essa escolha é muito mais complexa do que escolher ter alguém perto. Tem que ter muito mais coragem pra escolher estar só. Muito mais coragem pra fazer uma escolha por si mesmo, valorizando o próprio ser, sabendo que não é qualquer um pra escolher estar ao lado de qualquer pessoa.

Escolher estar com si mesmo, é saber ser feliz sozinho. E ser feliz sozinho é um dos princípios mais importante para todos, inclusive para os que preferem estar com alguém. Ninguém faz alguém feliz, se não é feliz primeiro. Ninguém completa alguém. As pessoas transbordam umas às outras quando são felizes mesmo desacompanhadas.

A graça de escolher estar sozinho é aprender a curtir sua própria companhia assistindo um seriado, lendo um livro e viajando. É saber valorizar-se, e valorizar a paz de estar a par consigo mesmo. É aprender que é possível ser alegre sem companhia e aprender a ser independente. É cantar, falar em voz alta, preferir um dia chuvoso dentro de casa e estar tudo bem assim mesmo.

Leia mais: Por que você também deve ir ao cinema (e a outros programas) sozinho

Quem escolhe estar sozinho, quando acompanhado, sempre será um bom par. Quem é feliz consigo mesmo, não tem tempo pra espalhar tristeza. Tem tempo apenas de espalhar as coisas boas que leva dentro de si.

Compartilhar
Gabriele Sauthier
Bióloga, graduada na Universidade Estadual de Maringá, Mestranda no Programa de Biologia Celular e Molecular (PBC - UEM). É colunista do site Fãs da Psicanálise.

RECOMENDAMOS




DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here