Nenhum relacionamento é perfeito e sem problemas.

É claro que todos os casamentos demandam trabalho, compromisso e comunicação efetiva de necessidades, expectativas e desejos. O casamento não é necessariamente difícil, mas torna-se mais difícil quando as pessoas “ficam estúpidas”. Essencialmente, quando um ou ambos os parceiros se comportam com raiva, ansiedade, mágoa, atitude defensiva ou maliciosa, os problemas aumentam rapidamente.

No geral, há problemas comuns na maioria dos casamentos em que o conflito é maior:

1. Um parceiro está tentando mudar o outro. Quanto mais um parceiro tenta “aperfeiçoar” o outro, menos perfeita essa pessoa se tornará à medida em que as lutas crescem. A verdade é que o melhor que você pode fazer é mudar quem você é, sua abordagem no relacionamento e como você responde ao seu parceiro. Afinal, você se casou com ele por quem ele é, certo?

2. Falando de – ao contrário de falar com – seu parceiro. Simplesmente falando não se tem uma comunicação eficaz. Queixas constantes, repetidas críticas, interpretar a vítima, tentar criar culpa, gritar, dizer ao seu parceiro o que fazer, etc., não são abridores de comunicação. Na melhor das hipóteses, eles são obstáculos de comunicação e barreiras. Escutar (isto é, estar presente ao outro) e falar com intenção são duas das formas mais profundas de intimidade em qualquer relacionamento.

3. Perda ou diminuição da intimidade emocional e sexual. Um parceiro emocionalmente ausente, descompromissado, desinteressado ou preocupado pode levar a uma queda na intimidade emocional e sexual.

4. Perda de foco ou consciência de atenta ao seu parceiro devido a problemas com finanças, sogros, um recém-nascido, pressões de trabalho e uma condição de saúde mental ou vício pode levar a distanciamento emocional e perda de conexão.

5. Caso emocional ou físico. Mesmo um micro-caso (quando um parceiro se comporta em sigilo e se decepciona com alguém fora do relacionamento) pode levar a danos e tensão a longo prazo em um relacionamento. A maioria dos assuntos começa inofensivamente, mas logo aumenta.

Leia Mais: O que os homens e as mulheres contemporâneos esperam do casamento?

6. Dificuldade em esquecer o passado ou não perdoar comportamentos passados. Muitos problemas conjugais e de relacionamento provêm de um ou de ambos os parceiros, recusando (ainda que subconscientemente) abandonar o passado. Deixar ir não significa ignorar ou varrer as questões embaixo do tapete; isso significa não levar essas questões para futuros argumentos.

7. Finanças. Diferentes valores e hábitos de consumo ocorrem em 10 a 20% dos relacionamentos. Um parceiro quer economizar, o outro se sente obrigado a gastar. Um parceiro quer gastar o bônus anual em um carro novo, o outro na cozinha ou na sala de estar.

8. Ignorando as pequenas coisas que tornam o relacionamento especial. Não apreciando um ao outro, concentrando-se no trabalho ou dinheiro ou nas crianças, não atendendo à parte romântica do relacionamento, não ouvindo, e não reconhecendo o quanto você valoriza a outra pessoa.

9. Gastar muito tempo e energia emocional conectado a mídias sociais e tecnologia em geral, às custas de passar tempo com seu parceiro.

10. Constantemente procurando pelo negativo ou pelo que não está funcionando. Isso é semelhante à alta crítica, mas mais generalizada na medida em que o parceiro aborda o relacionamento com uma atitude negativa, é emocionalmente seco e vazio, e através dessa lente vê-se principalmente o que há de errado no relacionamento.

(Autor: David O. Saenz, PhD, EdM, LLC)
(Fonte Original: psychcentral)
*Texto traduzido e adaptado por Carolina Marucci, da equipe Fãs da Psicanálise.

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here