De acordo com uma nova pesquisa da Universidade de Stanford, pode ser hora de mudar sua mentalidade.

Enquanto crescemos, as pessoas costumam nos dizer que a inteligência é o fator mais importante para alcançar o sucesso. Afinal de contas, o aluno com as notas mais altas costuma tornar-se o orador da turma e as universidades geralmente aceitam candidatos com as pontuações mais altas nos testes. Sabemos que ser inteligente é importante, mas, de acordo com uma nova pesquisa da Universidade de Stanford, sua atitude positiva pode ajudar mais do que seu QI.

A abordagem baseada na mentalidade, criada pela psicóloga Carol Dweck, divide os seres humanos em duas categorias – aqueles com uma “mentalidade fixa” e aqueles com uma “mentalidade de crescimento”.

Dweck, que passou sua carreira pesquisando a correlação entre atitude e desempenho, acredita que essas duas mentalidades são o verdadeiro fator que determina se alguém terá mais chances de alcançar o sucesso ou enfrentar o fracasso.

“Com uma mentalidade fixa, você acredita que é quem é e não pode mudar”, relata o Dr. Travis Bradberry, co-autor de Emotional Intelligence 2.0. “As pessoas com uma mentalidade de crescimento acreditam que podem melhorar com esforço”, explica ele. “Eles superam aqueles com uma mentalidade fixa, mesmo quando têm um QI mais baixo, porque aceitam desafios, tratando-os como oportunidades para aprender algo novo.”

Dweck descobriu que os indivíduos com mentalidade fixa acreditam que não podem mudar, o que cria problemas quando eles enfrentam desafios e não conseguem se adaptar rapidamente. Aqueles com mentalidade de crescimento, no entanto, acreditam que podem melhorar, o que os encoraja a se esforçar mais e a aceitar desafios.

E quanto à ideia de que ser naturalmente inteligente torna os indivíduos mais confiantes? Dr. Bradberry explica que essa suposição, embora seja razoável, só se aplica quando as tarefas parecem simples e previsíveis. “O fator decisivo na vida é como você lida com contratempos e desafios”, explica ele. “As pessoas com uma mentalidade de crescimento acolhem os contratempos de braços abertos”.

Leia Mais: Existe um caminho para o sucesso?

Então, como podemos aplicar essa abordagem em nossas próprias vidas? De acordo com Dweck, o sucesso na vida se resume a como você lida com o fracasso. “O fracasso é informação”, diz ela. “Nós o rotulamos como falha, mas é mais como ‘Isso não funcionou, mas eu sou um solucionador de problemas, então vou tentar outra coisa.”

Também é importante notar que Dweck acredita que sua mentalidade natural pode mudar com o tempo, se você se esforçar para isso. Qualquer um pode trabalhar para desenvolver uma mentalidade diferente. Ajustando sua atitude para melhor se adaptar à mudança, você pode se tornar mais voltado para a mentalidade de crescimento ao longo do tempo.

Frequentemente, falamos sobre a importância de reagir conscientemente e sermos flexíveis, e a pesquisa de Dweck prova que essas ideias são fundamentais quando se trata da capacidade de ser bem-sucedido. De acordo com a pesquisa de Dweck, fazer uma mudança de perspectiva se resume a responder diferentemente às pequenas coisas que testam nossa paciência ou orgulho. Ao desacelerarmos, agindo conscientemente e vendo obstáculos como oportunidades de aprendizado, podemos ativamente deixar ir nossas “mentalidades fixas” e aprender a abraçar o crescimento. E, no final do dia, todos nós podemos usar uma verificação de atitude a fim de ver se fomos bem-sucedidos.

(Fonte: thriveglobal)
*Tradução e adaptação por Marcela Jahjah, da equipe Fãs da Psicanálise

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here