1. Não arrumar suas coisas e viver no meio da bagunça

Não há problema em ser preguiçoso às vezes e deixar sua caixa de pizza na mesa na sexta-feira à noite, deixando para arrumá-la sábado de manhã. No entanto, a desordem é como um conjunto de blocos de construção. Ela continua crescendo e crescendo e crescendo. Deixar sua bagunça para arrumar no próximo dia ou no fim de semana não cria nada exceto estresse quando você acorda. Imagine tentar fazer café para levar ao trabalho, apenas para descobrir que sua garrafa térmica está soterrada sob uma pia cheia de pratos. Claro, isso não é a pior coisa do mundo, mas se há um jeito de eliminar o estresse desnecessário na vida, então você deveria fazer isso.

2. Discutir política no Facebook

Conservadores de direita e os pensadores mais liberais, todos merecem um lugar na internet. Cada um deles pode postar vídeos sobre questões que achem revoltantes ou que apoiem, com visões e perspectivas de ambos os lados, que podem concordar em discordar. Mas se alguém atacar suas crenças no Facebook, não faça disso uma oportunidade para educar essa pessoa. Não leve isso tão a sério a ponto de ficar ofendido; esta é a América e nós somos uma democracia formada por livres pensadores. Ninguém nunca vai mudar de lado ou de ponto de vista por causa de uma discussão no Facebook. Elas são apenas estressantes. Evite-as.

3. Manter amigos inúteis no Facebook

Pelo contrário, você deveria deletar pessoas que não agregam valor à sua vida nas redes sociais. Se vocês não têm interação fora do Facebook, então eles não são realmente “amigos”. Se você fica estressado com a negatividade constante de alguém, discursos políticos, postagens com erros ortográficos que fazem você querer gritar, ex-colegas de trabalho que você não convive mais, ex-amigos de escola com os quais você nunca trocou uma palavra durante todo o tempo em que esteve lá, delete, delete, delete. Crie um ambiente de mídia social no qual haja apenas você e seus amigos e familiares mais próximos. Confie em mim, isso tornará o tempo viciante que você gasta apenas checando o Facebook muito mais agradável.

4. Sentir-se culpado por fazer dívidas em cartão de crédito

Eu sei, eu sei, fazer dívidas no cartão de crédito é um grande estraga-prazeres. No entanto, eu apoio isso totalmente (dentro dos limites da razão). Ouça, os tempos estão difíceis para os jovens. Estamos presos em empréstimos estudantis para atuar em profissões que provavelmente nunca pagarão o que custaram. Vivemos salário a salário, ainda sonhando, ainda esperando chegar ao lugar onde nossos pais sempre nos disseram que estaríamos. Viver por conta própria é caro, assim como tudo que vem junto.

É por isso que, se você quiser ver o mundo ou vivenciar uma experiência única, apenas coloque no cartão. Não enlouqueça, mas, de vez em quando, fazer uma dívida que você sabe que pode pagar não parece um grande problema para mim. Frequentemente, adiamos viagens quando podemos pagar por elas ou deixamos para depois, quando for o tempo certo. A vida não é conduzida pelos nossos planos. Se você quer fazer alguma coisa, apenas faça.

5. Não ser honesto no trabalho, com amigos e familiares

Recentemente, eu e alguns dos meus melhores amigos entramos em uma grande discussão devido a uma diferença de opinião. Amigos discutem, e se uma amizade termina por causa disso, então talvez seja hora de reavaliar o tipo de amizade que você tem em primeiro lugar. Dito isso, é de se esperar que você e todos os outros tenham um conjunto diferente de valores, objetivos, experiências e medos que formarão suas próprias opiniões. Fale o que pensa e diga à pessoa como você se sente ou porque ficou magoado com algo que ela disse. Estenda a mesma cortesia a eles. É intimidador ser honesto porque crescemos pensando que nossa honestidade é o que vai afastar alguém, mas tenho visto exatamente o contrário. Ser honesto nos faz sentir melhor, e se a pessoa que está do outro lado não consegue lidar com isso, então toda a situação foi uma bênção disfarçada.

Leia Mais: Dicas de terapias alternativas para melhorar o cotidiano e a qualidade de vida

6. Odiar injustamente sua aparência

Ontem acabei usando uma calça de moletom e um suéter para trabalhar, porque sou uma escritora e gerente de mídia social que, felizmente, pode usar esse tipo de coisa e não ser demitida. Usei isso porque, depois de experimentar dez roupas diferentes, me senti gorda e horrorosa em cada peça que vesti. Roupas que eu usava há seis meses agora estavam muito apertadas e eu me perguntei como eu me permiti ir tão longe quanto fui.

Que bem faz esse tipo de negatividade? Meu corpo passou por muita coisa. Meu corpo, neste momento, é o reflexo da minha dor. Está assim devido ao luto pela perda da minha mãe. Está assim pela tristeza e ódio de trabalhar um trabalho que não alimentou minha paixão. Está assim pela depressão. Está assim por ter sido alimentado de qualquer porcaria que eu quisesse. Ser saudável e ativo é necessário para viver uma vida longa e saudável. Odiar seu corpo pelo que você passou? Absurdo total!

7. Procrastinar demais

Tire cinco minutos e retorne o telefonema, responda ao e-mail ou dirija-se à papelaria para comprar um envelope para mandar uma carta. Para começar, a procrastinação faz com que o estresse seja maior que o necessário. Eu sempre lembro que deveria ter cuidado de alguma coisa no segundo em que estou na porta de casa, saindo para o trabalho. Preocupo-me com isso por nove horas, volto para casa, e então o ciclo começa novamente. Cuidar de suas responsabilidades no momento em que elas surgem, seja responder a um convite de casamento, agendar uma consulta médica, responder a uma mensagem de texto ou retirar o lixo ajudará a aliviar o fardo de seus ombros.

8. Adiar seus hobbies até tarde da noite

Quando eu estava em terapia, uma das minhas maiores queixas era que eu sentia que nunca tinha tempo para fazer as coisas que amava, o que por fim me conduzia à ansiedade. Minha terapeuta me perguntou qual era a minha rotina quando eu chegava do trabalho e respondi: “Limpo a casa por uma hora, termino o trabalho que levei pra casa por duas horas, preparo o jantar, e quando o jantar termina, são dez horas da noite e estou exausta demais para sentar e escrever ou pintar, ou até mesmo para ler um livro. Eu sinto que estou esgotada criativa e emocionalmente.”

Ela me perguntou o que aconteceria com a minha rotina se, por uma noite por semana, eu voltasse para casa e escrevesse por uma hora, ou voltasse para casa e lesse um livro. O que aconteceria se eu não lavasse a roupa assim que chegasse em casa? O que aconteceria se eu deixasse meu namorado cozinhar? Ou o que há de tão errado em pedir comida para viagem? Agora, trabalhando em uma área que eu amo, não me importo de vir para casa e trabalhar em coisas que acho relaxantes. No entanto, é fundamental estar aberto à ideia de colocar suas necessidades em primeiro lugar de vez em quando. Pular um dia ou mudar suas responsabilidades por até mesmo uma hora que seja é crucial para sua saúde mental e felicidade.

Leia Mais: A base da vida é o respeito! (O texto que está mudando o mundo!)

9. Inscrever-se em muitas assinaturas de e-mail

Se você realmente ama Bath and Body Works, então é provável que você os siga no Facebook ou no Instagram. Ao fazer isso, você sabe quando é a promoção semestral. Agora, não quero dizer que a empresa envia muitos e-mails (não o fazem), mas, em um dia comum, recebo mais de 100 e-mails de alertas de emprego da Indeed (que nem são relevantes), de organizações nas quais comprei uma única vez, que me pressionaram para dar-lhes meu e-mail, blogs que li uma vez e tudo o mais que existe, de assinaturas de revistas, Linkedin e abrigos de animais para os quais fiz doações no passado. No final da semana, eu tenho mais de 1000 e-mails e só há cerca de cinco ou seis deles que eu realmente preciso abrir. Da próxima vez que você estiver na loja, diga não ao pedido de enviar e-mails para você, caso saiba que não vai abri-los nem os acha úteis. Em vez disso, siga essas empresas nas redes sociais. Reduzir o estresse de ver notificações de alerta ridiculamente altas em seu telefone o dia todo vale a pena.

10. Não ser honesto com suas emoções e vulnerabilidades

Assim como você precisa ser honesto com a maneira como os amigos, a família ou os colegas de trabalho o tratam, você precisa ser honesto consigo mesmo. É saudável reconhecer quando você está se sentindo triste, e não há problema em recusar um convite porque você simplesmente não tem vontade de sair com ninguém, ou mesmo se você realmente gostaria de passar a noite de sexta-feira de moletom na sua casa, assistindo Netflix. Se você tem problemas em seu relacionamento, fale o que pensa. Compartilhe-os. Resolva-os. Independentemente de como você está se sentindo, esteja ciente de que essas emoções não estão erradas. Nunca é errado se sentir como você se sente. Ser honesto a respeito das suas vulnerabilidades torna a vida muito mais fácil de viver, ao mesmo tempo em que você recebe a ajuda que merece.

11. Desculpar-se

Há uma diferença entre os tipos de desculpas que damos. Somente peça desculpas se você realmente se arrependeu do que disse ou por magoar outra pessoa. Mas pedir desculpas somente para consertar uma situação rapidamente ou fazê-lo porque está criando estresse em casa apenas leva a ressentimentos e sentimentos de vitimização. Somos humanos e cometemos erros, e devemos sentir remorso por qualquer momento em que fizermos algo prejudicial de propósito. Mas desculpar-se por sentir-se como você se sente? Pedir desculpas por se sentir magoado? Por sentir-se atacado? Por sentir-se negligenciado?

Com que frequência dizemos “me desculpe” quando entramos no escritório do nosso chefe e pedimos ajuda? Com que frequência dizemos “me desculpe” quando alguém esbarra em nós na rua? Com que frequência dizemos “me desculpe” quando na verdade sentimos tristeza, constrangimento ou raiva? Estas são emoções humanas que você tem o direito de ter. Talvez se todos parássemos de nos desculpar por experimentar emoções humanas, este mundo não seria tão fechado à ajuda e honestidade como às vezes é.

(Link original: thoughtcatalog)
*Traduzido e adaptado por Marcela Jahjah, da equipe Fãs da Psicanálise.

Imagem: Hybrid

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here