Esperar não é uma esperança vazia. Existe a certeza interior de alcançar o objetivo” I Ching.

Para a sociedade atual, esperar é algo muito combatido. Nós não gostamos de esperar! É mais fácil encontrar citações na Internet sobre “aproveitar o dia” e fazer algo acontecer, do que simplesmente algo sobre “a espera”.

Eu fui uma pessoa impaciente por toda a minha vida, queria que as coisas acontecessem rapidamente! Sempre tive uma agenda definida desde meus 20 anos: terminar a faculdade, começar minha carreira, me casar e ter uma família, definida essa meta passei a trilhar para alcançar esses objetivos. Por exemplo, quando acreditei que era o momento de me casar, escolhi a pessoa mais adequada.

Eu realmente não sabia o significado de esperar. Eu pensei que era algo que se faz quando não existe coragem ou convicção. Mas essa era apenas uma desculpa que eu usava e entendo melhor isso agora. O que eu aprendi desde então é que esperar é uma das ferramentas mais poderosas que temos para criar a vida que queremos.

O nosso ego, ou a nossa mente, sente-se muito desconfortável quando tem que esperar. Nesta hora ouvimos uma voz interior gritando: “Faça alguma coisa! Qualquer coisa é melhor do que nada! ” e como somos uma sociedade muito voltada para a satisfação momentânea do ego, encontramos muitas vozes externas que confirmam essa mensagem.

A mente odeia ficar na incerteza e prefere cometer um erro que simplesmente viver em um estado de “não saber o que fazer” enquanto a vida passa e coloca as coisas no lugar.

Existe uma palavra que eu adoro usar para descrever este momento de incerteza: limiar. Um espaço liminar está na fronteira entre as possibilidades. Quando estamos no limiar, significa que podemos partir em qualquer direção. Não há luzes brilhantes e sinais óbvios dizendo “Venha por aqui”. Espaços liminares podem ser profundamente desconfortáveis, e a maioria de nós tende a passar por eles o mais rápido possível.

Se, em vez disso, conseguirmos desacelerar, a paisagem ficará gradualmente mais clara, como acontece quando os olhos se ajustam a uma sala escura. Nós começamos a usar todos os nossos sentidos. O ego quer iluminar uma estrada sem curvas que nos leve diretamente para o futuro, mas a vida real está mais para um labirinto. Nós damos um ou dois passos em uma certa direção, e então enfrentamos um novo desafio. Ao trilhar o nosso caminho, seguir adiante requer um conjunto de habilidades, e esperar é um dos mais importantes!

Há um tempo adequado para todas as coisas, e muitas vezes as coisas não acontecem no momento que queremos. Há coisas que se resolvem inconscientemente, que nos preparam para o próximo passo. Estranhamente, quando chega a hora de agir, muitas vezes há uma sensação de inevitabilidade a respeito disso, como se fosse para ser assim.

Leia Mais: Se você esperar até se sentir pronto, vai esperar pelo resto da vida

Olhe para o seu passado e você verá este padrão. Primeiro, olhe para as decisões que você teve que forçar para acontecerem: como elas acabaram? Em seguida, procure por momentos em que você apenas “sabia” o que fazer, sem sequer pensar nisso. O que aconteceu então?

A chave para o segundo tipo de decisão é esperar pelo profundo sentimento de conhecimento interior. Isso não significa que você está certo de que tudo vai sair exatamente do jeito que você quer. Ou que você não sentirá medo. Mas há uma sensação de “sim, agora é a hora” em seu corpo que eu comparo ao desejo que as aves migratórias têm quando é hora de sair da cidade. Elas não ficam por aí voando em vão, consultando mapas e calendários. Elas só voam quando for chegar a hora certa.

Nós também somos animais e podemos cultivar essa sensibilidade interior que nos permite simplesmente saber o que fazer quando chega a hora certa. Mas para fazer isso, temos que nos libertar. Pensar sobre nossos objetivos é útil, mas geralmente levamos isso muito além do que deveríamos!

Nós repetimos vários padrões de conduta, tentando prever o futuro com base unicamente em nossas esperanças e medos. Falamos incessantemente com os outros sobre o que devemos fazer, esperando que eles tenham as respostas certas para nos dar. Pensamos sobre o que “deveríamos” fazer, com base em qualquer medida externa: senso comum, moralidade, religião, valores familiares, finanças e assim por diante.

Se houver alguma ação que chame por você, mesmo que pareça não ter relação com a questão que tratamos neste texto, faça isso: espere! Então espere novamente por outro desejo de se mover. Espere ativamente, em vez de passivamente. Isso significa: mantenha seus sentidos internos sintonizados com impulsos ou intuições. Espere que uma resposta chegue. Como o I Ching diz, espere com a “certeza interior de alcançar o objetivo”.

Este não é o mesmo tipo de hesitação e procrastinação que surge quando queremos tentar algo novo, mas temos medo de sair para o desconhecido. Se sua intuição está puxando você em uma certa direção e sua mente está gritando para você “Pare!” Ignore sua mente.

Há uma diferença sutil, mas muito real, entre o sentimento de medo (que o impede de fazer algo que você deseja fazer) e as dúvidas (que lhe avisam que uma decisão que parece boa na superfície não é boa para você). Em ambos os casos, busque e confie na profunda sensação de conhecimento interior, mesmo que seus pensamentos estejam lhe dizendo coisas diferentes. Uma amiga uma vez me disse que o melhor conselho de seu pai para ela era: “Decidir se casar deve ser a decisão mais fácil de sua vida”. Como eu gostaria de ter ouvido isso quando tomei a minha decisão.

Minha cabeça estava me dizendo que casar era a coisa mais sensata a fazer, e eu era um bom homem. Meu instinto, no entanto, dizia outra coisa. Ainda me lembro vividamente dos muitos debates internos que tive sobre me casar e até dos sonhos que tive que revelaram minha relutância interior. Infelizmente, eu dei mais valor aos meus pensamentos do que aos meus instintos. Agora eu sei disso: se você tiver que falar algo para si mesmo, diga para esperar. Algo será revelado, se você esperar algum tempo.

Ignore essa voz em sua cabeça que diz que você precisa tomar uma decisão agora. Não se apresse pela vida. Permaneça nos espaços limiares e veja o que fica claro à medida que espera e sente. Aprenda a confiar no seu instinto mais do que na sua cabeça. Tenha fé de que o curso certo se desdobrará no momento perfeito. E então, quando chegar a hora, basta fazê-lo, tão simples e naturalmente como os pássaros voam.

(Fonte: tinybuddha)
*Traduzido e adaptado por Natthalia Paccola 

Imagem: Shamim Nakhai

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here