Independente do gênero, toda pessoa traz em si energias feminina e masculina.

E equilibrar essas forças pode fazer com que o indivíduo se sinta mais pleno, afinal, esta qualidade de energia é fundamental no desenvolvimento de nossas vidas, já que mulheres e homens a possuem de modo mais ou menos desenvolvido.

Um exemplo claro pode ser observado no fato de que a energia maternal em alguns homens é aparente, já que eles acabam desempenhando este papel na família. Nesses casos, eles desenvolveram mais este lado feminino da energia, por necessidade ou opção.

Já a energia maternal feminina é necessária durante a vida familiar, mas deve ser observada atentamente pela mulher. Ao se tornar mãe, é preciso saber equilibrar este aspecto, sob pena de desequilibrar sexualmente a relação do casal, por exemplo.

Com isso, é possível observar que uma energia não se sobrepõe a outra, elas são complementares, necessárias.

Leia mais: Teste: qual a sua energia interna?

As polaridades feminina e masculina, Yin e Yang, são diferentes e é através delas que fazemos as trocas energéticas importantes para nossa energia vital.

A energia feminina tem o poder de movimentar a energia masculina. Basta pensar no reino animal: é a fêmea que permite e deseja (ou não) o coito. O macho reage aos encantos ou desencantos desta energia.

A IMPORTÂNCIA DO EQUILÍBRIO ENERGÉTICO NOS RELACIONAMENTOS

As energias femininas e masculinas influenciam significativamente a interação entre um casal.

Se estiverem equilibradas, podem oferecer uma relação carinhosa e duradoura, que permite o desenvolvimento dos dois no caminho de seu amadurecimento sexual e emocional.

A energia masculina simboliza atitudes relacionadas aos cuidados e ao fortalecimento da família, acolhendo e atuando de forma conjunta à energia feminina.

Essa, por sua vez, é voltada à criação e educação dos filhos, envolvendo a família numa esfera de acolhimento no lar.

No que diz respeito à sexualidade e ao prazer é importante que o casal tenha ambas as energias equilibradas em si mesmos.

A chamada relação Pai-Mãe, na qual cada um assume unicamente uma energia em detrimento da outra, torna-se pouco desejada.

O encanto e o aprofundamento sexual do casal que baseia a sua relação neste desequilíbrio energético acontecem em um nível pouco profundo e prazeroso, muitas vezes tornando-se uma obrigação conjugal.

Ir com a “mãe” ou o “pai” para cama não é muito desejado ou desafiador, a relação tende a ser morna.

Alguns casais vivem em torno desta energia e satisfeitos com a pequena intensidade do relacionamento, deixando de viver prazerosamente sua sexualidade, sacrificando este prazer.

Leia mais: Relacionamentos: “meu casamento não é mais o mesmo”

“Acabou o encanto” é uma argumentação que costuma ser feita por alguns casais que se separam. Algumas pessoas, mesmo com sentimento de amor pela cara metade, arrastam suas vidas amorosas pouco satisfatórias por algum tempo ou até mesmo pela vida toda.

Nota-se a insatisfação na postura destas pessoas. O marido por vezes trata a esposa como “mãe” e ela o trata como “pai”, carinhosamente. Quando ambos tomam conhecimento desta tendência, é possível começar a trabalhar a relação insatisfatória com o outro, mudando de atitude e se abrindo para a oportunidade de transformação.

QUAL ENERGIA VOCÊ USA MAIS?

Parte das dificuldades nos relacionamentos pode ser ocasionada pela confusão que homens e mulheres fazem no uso de suas energias masculinas e femininas.

Dentro de cada ser humano circulam ambas as forças, já que elas são complementares.

A energia masculina caracteriza-se pela objetividade, razão e foco em uma única direção. Já a feminina é subjetiva, emocional, com atenção possível para várias direções.

“Dentro de cada ser humano circulam ambas as forças, já que elas são complementares. A energia masculina caracteriza-se pela objetividade, razão e foco em uma única direção. Já a feminina é subjetiva, emocional, com atenção possível para várias direções.”

Historicamente, antes da revolução feminina nos anos 60 – um período no qual as mulheres exigiram direitos iguais aos dos homens – a sociedade estava acostumada com o estereótipo submisso da mulher, que dependia economicamente e emocionalmente do parceiro. Nesta mesma época, o homem tinha o papel de provedor e de alguém que não podia entrar em contato com seus próprios sentimentos.

Leia mais: A incrível geração de mulheres que foi criada para ser tudo o que um homem NÃO quer

Com o passar do tempo, para sobreviver no universo de trabalho essencialmente masculino, a mulher teve que aprender a utilizar essa energia para ser respeitada. Os homens, por sua vez, iniciaram um processo de sensibilização emocional e foram entrando em contato com a energia feminina, tornando-se mais humanitários.

Isso significa que uma mulher pode usar sua energia masculina no aspecto profissional, sem perder sua identidade feminina. Do mesmo modo, o homem pode ser sensível e forte ao mesmo tempo. Este seria um exemplo de equilíbrio entre ambas energias.

O PODER DA ENERGIA FEMININA

A energia feminina está presente no interior de todos, mas poucos sabem usá-la. A identificação desta energia nos faz mais conscientes da força de gerar, criar e transmutar.

Afinal, ser feminino não é somente ser mulher, pois vai além do sexo e das características e dos trejeitos físicos. A energia feminina é receptiva, acolhe, nutre, impulsiona e estimula.

Na mesma medida que todo homem possui uma energia feminina, toda mulher é igualmente dona de uma energia masculina – muitas vezes usada para resgatar seu poder pessoal, assumindo uma forte dose de energia yang.

Quando isto acontece em excesso, a energia feminina fica debilitada, já que o corpo físico, mais cedo ou mais tarde, vai sentir este desequilíbrio e pedir novamente o que lhe traz estabilidade.

É claro que a energia masculina ativa e realizadora é importante na vida de uma mulher. É isso, inclusive, que foi recuperado com a “liberação da mulher”, que passou a ter autonomia de decisão.

Da mesma forma, a parte feminina também é necessária para os homens, que exploram características como cuidado, amor incondicional, receptividade, intuição, instinto e doçura.

COMO EQUILIBRAR AS ENERGIAS?

As qualidades que as mulheres têm procurado nos homens, como proteção, força, poder, responsabilidade, atenção, excitação e romance necessitam ser desenvolvidas nelas mesmas.

A fórmula é simples: trate-se da mesma maneira que gostaria de ser tratada por um homem, e aí poderá notar que o que cria em si é espelhado fora de si.

Leia mais: A importância do comprometimento para o sucesso do relacionamento amoroso

Quando tiver desenvolvido o seu lado masculino, que a apoie e ame, você atrairá sempre pessoas em sua vida que refletirão esse processo. Quando uma mulher se apaixona por um homem, ela está percebendo sua própria energia masculina refletida nele.

Já as qualidades que os homens costumam procurar nas mulheres, como cuidado, calor, força, sexualidade e beleza também existem dentro deles mesmos no seu aspecto feminino. Assim que aprenderem a respeitá-lo, ouvi-lo e segui-lo, atrairão para as suas vidas mulheres que reflitam essa integração.

Portanto, ao saber que a pessoa por quem sentimos atração é o reflexo de nós mesmos, não necessitamos mais ser dependentes do outro.

Afinal, é assim que descobrimos que tudo que vemos no outro também está presente em nós mesmo.




1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA