Você passou as últimas semanas se escondendo; tornou-se um recluso. Passou seus dias dormindo, comendo porcarias, e maratonando toda a série de Friends (ou talvez Seinfeld se você é uma “daquelas” pessoas). Agora você finalmente começou a sair da escuridão: as coisas finalmente estão parecendo mais estáveis. Você está finalmente começando a sair desse episódio depressivo.

Talvez ninguém tenha notado. Talvez uma pequena parte da verdade de que você estava “ocupado” realmente tenha enganado seus amigos. Agora que você está saindo do buraco, rumando aos poucos em direção à superfície, haja algumas coisas que você está fazendo que as pessoas podem não perceber que são porque você está se recuperando desse episódio depressivo.

1. Seus padrões de sono estão diferentes do normal.

Você teve seu horário de sono adulto “normal” por anos, sempre indo para a cama por volta das 8:30 da noite e acordando por volta das 5:30 da manhã. Mas você chegou num impasse há cerca de duas semanas e passou a gastar muito tempo na cama, tentando se isolar do mundo por apenas algumas horas a mais. Infelizmente, mesmo agora que você está começando a se sentir “melhor”, ainda demora um tempo para sincronizar. Você pode ficar sobrecarregado durante o dia e tirar uma soneca, mas isso deixa você se sentindo “ligado” e o faz ficar acordado até tarde. Se ninguém percebeu que você estava deprimido, eles não vão notar seus estranhos padrões de sono que duram semanas, certo? (Embora possam perguntar por que você está de repente postando no Instagram à 1:00 da manhã…)

2. Você de repente se tornou muito sentimental.

Você de repente se encontra com seus amigos, ansiando pela atenção deles depois de se isolar por algumas semanas. Pode ser algo tão simples como enviar mensagens a eles todos os dias apenas para manter contato ou enviar-lhes uma longa carta, dar presentes e cuidados “apenas em caso de precisarem”. Você pode até ser excessivamente carinhoso, dando ainda mais abraços e pedindo carinho inesperadamente. Todos podem pensar que você está apenas sendo extremamente carinhoso, mas você sabe que a realidade é que você é grato por não ter perdido aqueles que ama e quer ter certeza de que eles sabem o quanto significam para você, caso da próxima vez você não consiga sair do buraco.

3. Você fica facilmente sobrecarregado ou emotivo.

Você pode não ter se estabilizado completamente ainda, então seus humores ainda estão oscilando, e a balança pode se inclinar com o mais simples dos eventos. As coisas podem fazer você chorar mais do que o normal, ou você pode de repente “precisar de um momento” para se acalmar se começar a se sentir bravo ou ansioso. Você se sente atordoado por ruídos repentinos ou altos, uma sobrecarga de informações para processar leva mais tempo do que o normal, e cometer um erro simples pode fazer com que você desça ladeira abaixo. Ninguém vê isso além de você.

Leia Mais: 3 formas de tratar a depressão que não envolvem medicamentos

4. Seu apetite está em todo lugar.

Um dia você pode comer tudo que estiver à vista, e então você passa os próximos dois dias vivendo de quase nada. Você fica animado com a aparência de uma refeição, depois dá uma mordida e decide que não consegue terminar. É assim que o mundo fica por vários dias, quando você sai de uma fase muito baixa: as cores ainda estão embotadas, os cheiros são menos intensos, tudo parece estar diminuído vários graus abaixo do normal.

5. Você começa divulgar freneticamente mensagens motivacionais nas redes sociais.

Você é geralmente uma pessoa muito aberta. Quando você está pra baixo, você demonstra, especialmente nas redes sociais. Ao tentar voltar a um lugar de normalidade, você olha para afirmações e citações motivacionais ou quaisquer pequenos lembretes que você acha que manterão você pra cima. Você fica tão apaixonado por esses posts positivos que você costuma compartilhá-los diariamente por no mínimo uma semana. Todo mundo vê isso como sua maneira usual de cuidar de todos os outros e tomar conta dos que estão ao seu redor; ninguém percebe que todos os posts motivacionais são realmente apenas para você.

6. Você evita ficar sozinho.

Ficar sozinho tende a ser sempre perigoso para você, especialmente quando você se recupera de um episódio depressivo. Você evita dizer às pessoas: “Não é seguro para mim ficar sozinho”, mas faz um esforço muito consciente para ter pessoas fisicamente perto de você ou para entrar em contato virtualmente quando sabe que ficará fisicamente sozinho por um determinado período de tempo. As pessoas servem tanto como uma distração quanto como uma rede de segurança, por isso é importante ter pessoas por perto enquanto você trabalha duro para melhorar.

7. Você ouve música constantemente.

Uma das melhores maneiras de regular e tentar controlar as emoções é através da música. Disseram-lhe para usar a música para ajudá-lo a ficar atento, para ficar energizado, para permanecer ativo. A música pop e dance dos anos 90/2000 ajudam-no a se sentir feliz e animado, então as pessoas vão ver você ouvindo JT ou Ke$ha a todo volume e achar que você está de particularmente de bom humor ou apenas nostálgico de músicas antigas.

Leia Mais: Brasil tem maior número de casos de depressão na América Latina

8. Você compra algo novo, mesmo que você realmente não precise.

Terapia de compras é efetiva, e você aproveita ao máximo. Apenas ir olhar as vitrines já é pretexto pra tirar você da casa, e uma roupa nova é exatamente o que você precisa para se sentir bonito e se amar de novo depois dessa tempestade de depressão. Todos os outros pensam que você está querendo se sentir sexy e não suspeitam de nada.

9. Você procura algo para “se apaixonar”.

Seu terapeuta disse que a melhor maneira de manter-se positivo é permanecer no presente e “fora dos seus pensamentos”. Isso significa tentar se manter ocupado. Iniciar um novo hobby, começar uma nova rotina, ou até mesmo melhorar uma habilidade na qual você tinha perdido o interesse enquanto deprimido pode ajudar. Seus amigos parecem não pensar nada sobre isso, porque você é sempre aquele que está tentando coisas novas e arrastando-os para irem junto.

10. Você limpa alguma coisa.

Você se orgulha de ser organizado, mas isso vai por água abaixo assim que você começa a afundar numa depressão. Você evita qualquer coisa que vai sobrecarregá-lo, e sua energia é tão baixa que até mesmo uma tarefa simples, como carregar a máquina de lavar louça, requer uma pausa depois de terminar. Uma vez que você comece a se sentir melhor, porém, a bagunça que você deixou acumular o enfurecerá e ela deve ir embora. Você nem quer que as pessoas saibam que houve uma bagunça em primeiro lugar, porque isso seria embaraçoso.

A depressão pode atingir qualquer pessoa a qualquer momento. Embora possa haver alguns sintomas típicos, a maneira como a depressão afeta cada um pode ser muito diferente. Isso significa que os “sinais” comportamentais de recuperação também podem variar muito. Esses 10 itens são ações ou sinais muito pequenos, e podem parecer coisas normais que a maioria das pessoas faz e passam despercebidas.

A autoconsciência é importante, portanto, se você sofre de depressão, pode ser bom pensar nas maneiras pelas quais a depressão e a saída dela afetarão você. Conhecer esses pequenos detalhes pode fazer a diferença em sua vida e até mesmo ajudar os que estão à sua volta a reconhecer o que você precisa um pouco mais facilmente.

(Texto original: thoughtcatalog)

*Tradução e adaptação por Marcela Jahjah, da equipe Fãs da Psicanálise

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

2 COMENTÁRIOS

  1. O acaso não é nada diante de nossas escolhas. Temos esse poder, esse direito. Livre arbítrio. Em nossa liberdade, aumentamos nossa responsabilidade.
    Usamos nossos cinco sentidos como nos apraz. Cada um se difere do outro pelo gosto, pelo olfato, visão, tato . Gosto não é só paladar, envolve cheiro, cor, visual.
    Beleza pode ser interior, mas a exterior faz a diferença. Atrai e engana, ilude, trai e seduz. Faz sofrer. Mas, sem sofrimento a alegria é menor, ambos se confundem, se fundem. Sem guerra a paz fica sem sentido.
    Quando as bombas se calam, os tiros dão uma pausa, os combatentes não conseguem dormir. O silêncio atrapalha. A guerra acaba, mas o conflito não.
    A mente continua na guerra e o corpo quer lutar. Vida e morte se confundem. Perdem a noção do início e do fim. Já não conseguem
    viver na paz. A guerra os fascina , a adrenalina os excita e seduz.
    Fica sempre aquele gostinho de quero mais. A dor desperta o prazer. Este é vida que se arrisca.
    Nos perigos se excitando, mas gozando nas vitórias.

  2. Artigo excelente. A introdução me descreve perfeitamente, o tópico 1, 2, 3, 7, 8 e 10 acontecem sempre, mas os que são recorrentes em mim sao 1, 7, 8 e 10. Meu sono desregula, volto a ouvir minhas músicas (tenho uma playlist nostalgia), faço compras/procedimentos estéticos e começo a arrumar a bagunça, o item 10 é o que me incomoda bastante.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here