Apesar de não apresentar sinais físicos que comprovem o abuso, a violência psicológica pode ter um efeito significativo em sua vida, e todos nós devemos estar cientes.

A violência é um tipo de interação social ou pessoal em que há uma clara intenção de causar danos ou prejuízo à outra parte. Existem muitos tipos e graus de violência. E eles podem ser tão sutis ao ponto de passar despercebidos. A violência psicológica, embora não seja física, também pode deixar sinais no corpo.

Neste artigo, falaremos sobre os efeitos da violência psicológica em nossos corpos. Como isso pode afetar nossa qualidade de vida, bem como as formas de prevenir este abuso tão tristemente estendido. Esse flagelo social faz com que a dor psicológica sofrida por essas pessoas leve a sérios problemas de saúde a longo prazo.

O que é violência psicológica?

A violência psicológica é um tipo de abuso verbal (não físico) baseado em humilhação, desqualificação, insultos, isolamento ou intimidação. Como não há evidências físicas, como solavancos, arranhões ou contusões, às vezes pode ser difícil provar, já que é a palavra de uma pessoa contra a outra.

É um tipo de abuso no qual a questão é sujeitar a pessoa e danificá-la através de pressão constante. Ocorre através de gritos ou humilhações que discriminam a dignidade da vítima.

Sinais deixados no corpo

1. Distúrbios do sono
O abuso psicológico geralmente resulta em distúrbios do sono. As altas doses de pressão e violência verbal causam estados psicológicos de ansiedade, estresse e insônia. Receber diferentes tipos de humilhação pode causar distúrbios nervosos e cardíacos.

O medo do agressor gera uma insônia que enfraquece ainda mais a vítima. Também aumenta a capacidade de evitação que é causada pelo abuso de poder. Além disso, com horas insuficientes de sono, o corpo enfraquece e fica mais propenso a adoecer.

Leia Mais: Os impactos psicológicos da violência urbana

2. Transtornos alimentares
Em geral, as vítimas de violência psicológica sofrem de distúrbios alimentares. Ao reduzir a autoestima, a pessoa sente que não merece nada, que tudo é culpa dela. Esta deformação da realidade transforma-se em perda de apetite ou falta de controle (compulsão).

Um transtorno alimentar é uma doença na qual há uma distorção da imagem corporal. Existem fatores que podem levar a esses distúrbios alimentares, como sentimentos de solidão, frustração, raiva contida ou sofrimento emocional. Em vítimas de violência psicológica também é muito comum ver o aparecimento de gastrite (dor abdominal aguda, azia, ardor).

3. Hipertensão
A pressão arterial irregular é outro sinal de que a violência psicológica pode sair do corpo. O ato de viver em estado de alerta contínuo para proteger a vida faz com que a pressão arterial aumente. A mente envia sinais ao corpo de que está vivendo um risco ou em perigo e, portanto, o corpo aumenta o bombeamento de sangue.

Pessoas que estão em pontos problemáticos ou onde sua vida é exposta com uma ameaça constante, tendem a desenvolver hipertensão. Em suma, é uma estratégia de defesa do corpo intimamente associada a pessoas que sofrem violência psicológica.

4. Depressão
A violência psicológica faz com que a vítima entre em estado de depressão e angústia total. Existem muitos sinais de violência psicológica que resultam em doença ou transtorno mental:

– Chantagem
– Ciúme descontrolado
– Privação da liberdade e controle do dinheiro
– Insultos e humilhações
– Apelidos pejorativos
– Controle total das relações sociais
– Invasão de privacidade
– Gritos e depreciações
– Controle de roupas
– Relações sexuais não consensuais
– Domínio e submissão

Por tudo isso, não é estranho que a vítima, mesmo sem apresentar sintomas de violência física, caia em estado de desolação. Até ao ponto de se tornarem suicidas ou não se importar com o que acontece com a sua vida. Além disso, o fator agravante é que, geralmente, o agressor geralmente é o parceiro ou um membro próximo da família.

Dicas para prevenir a violência psicológica

Mantenha estas dicas em mente para evitar ser vítima de violência psicológica:

– Alguém que te ama não te faz chorar.
– Não aceite ou normalize gritos e manifestações de raiva.
– Nunca permita insultos, ataques verbais ou desprezo.
– Sua opinião vale tanto quanto a deles.
– Ninguém possui outra pessoa.
– Não justifique ou defenda comportamento violento.
– Você não pode sempre perdoar.
– Se você sente medo do seu parceiro, isso não é amor.
– Se este é o seu caso, reflita, arme-se com coragem e peça ajuda.

(Fonte Original: steptohealth)
*Texto traduzido e adaptado por Carolina Marucci, da equipe Fãs da Psicanálise.

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here