Ele foi o fundador da psicanálise e produziu ideias seminais que influenciaram fortemente nossa compreensão da mente humana. Mas isso, por si só, não é suficiente para que Sigmund Freud seja apenas amado e admirado, há também quem discorde veementemente de suas ideias e métodos; alguns chegam a odiar-lo.

Amando ou odiando, não tem como não reconhecer que os seus estudos sobre a mente e o comportamento humano são, atualmente, utilizados em várias ciências e campos de conhecimento.

Sigmund Schlomo Freud nasceu Freiberg in Mähren, em 6 de maio de 1856. Sua cidade natal fazia parte do então Império Austríaco e é onde hoje se localiza a República Tcheca. Ele faleceu em 23 de setembro de 1939, em Londres, Inglaterra.

Freud Vive em Viena até 1938, quando, sob a pressão de invasão nazista, obriga-se a migrar, indo para Londres. Aos 83 anos, Freud morre de câncer no palato, após ter passado por trinta e três cirurgias.

De acordo com a biografia de Freud, supõe-se que ele tenha morrido de uma dose excessiva de morfina. Ele sentia muita dor e usava a morfina para amenizá-la. Dizem que, não suportando mais essa dor, ele pede ao médico que lhe aplicasse uma dose excessiva de morfina, a fim de terminar de vez com a sua dor e com o seu sofrimento, o que seria, de certa forma, uma eutanásia.

11 coisas que você provavelmente não sabia sobre Freud

1 – Freud tornou-se médico para se casar com a mulher que amava
Quando Freud tinha 26 anos, ele se apaixonou loucamente por uma mulher de 21 anos chamada Martha Bernays e ficaram noivos dois meses depois. Como um estudante pobre ainda morando com seus pais, o trabalho de laboratório de ciências de Freud não pagava o suficiente para sustentar uma família. “Minha doce menina, só me dói pensar que eu deveria ser tão impotente para provar meu amor por você”, escreveu Freud a Martha.

Seis meses depois de se conhecerem, Freud desistiu de sua carreira científica e tornou-se médico. Ele passou três anos treinando no Hospital Geral de Viena e raramente conseguia ver sua noiva que se mudara para a Alemanha. Após quatro anos de espera, Freud e Bernays se casaram em 14 de setembro de 1886. O casal teve seis filhos.

2 – Freud provavelmente nunca disse “às vezes um charuto é apenas um charuto”
Embora a famosa citação seja frequentemente repetida e atribuída a Freud, não há evidências de que ele tenha realmente dito que “às vezes um charuto é apenas um charuto”. Freud foi um fumante de charuto ao longo da vida, fumando até vinte por dia, segundo seu biógrafo Ernst Jones.

A história se acredita ser real é que alguém perguntou a Freud o que o charuto que ele tão freqüentemente fumava simbolizava. A resposta pretende sugerir que até mesmo o famoso psicanalista acreditava que nem tudo tinha um significado simbólico subjacente. Na realidade, a citação é provavelmente a invenção de um jornalista que mais tarde foi erroneamente identificado como uma citação de Freud.

3 – Freud foi inicialmente um defensor e usuário de cocaína
Antes dos efeitos nocivos serem descobertos, a cocaína era frequentemente usada como analgésica. Foi usada até mesmo em produtos domésticos comuns, incluindo refrigerante e pastilhas para garganta. Freud desenvolveu um interesse nos potenciais efeitos antidepressivos da cocaína e inicialmente defendeu seu uso para uma variedade de propósitos. Depois que os efeitos colaterais viciantes e prejudiciais da cocaína se tornaram conhecidos, a reputação médica de Freud sofreu um pouco como resultado.

4 – Freud ignorou seus próprios mandatos éticos
Freud estabeleceu vários padrões em sua publicação, muitos dos quais são usados ​​pela psicoterapia contemporânea. Grande ênfase é colocada na neutralidade e confidencialidade. Mas Freud não seguiu esses mandatos. De acordo com um estudo de 1988, Freud ignorou os padrões de anonimato em 100% de seus casos. Ele ignorou a confidencialidade em 53% de seus casos e a neutralidade em 86% de seus casos. É seguro dizer que ele não praticava o que pregava.

5- Ele foi julgado como impróprio para um Premio Nobel
Sigmund Freud foi indicado ao Prêmio Nobel por 12 anos. No entanto, as nomeações cessaram para sempre quando o comitê contratou um especialista que disse que seu trabalho era “sem trabalho científico comprovado”. Ele nunca ganhou o Prêmio Nobel.

6 – Estudou a vida sexual das enguias
Freud era obcecado por sexo e a maioria de suas teorias são sobre sexo. Quando era estudante na universidade de Viena, o jovem Sigmund estudou zoologia. Durante uma viagem a Trieste, ele foi designado para estudar os órgãos sexuais das enguias. Seu professor encarregou-o de encontrar as gônadas do macho da espécie. Essa descoberta escapou dos cientistas por séculos. Sigmund passou horas dissecando enguias sem sucesso, e no final disse que todas as enguias eram do sexo masculino.

7 – Ele teve apenas um único paciente infantil em psicanálise
Freud tinha extensas teorias sobre o desenvolvimento infantil. Mas durante seu tempo, ele viu apenas um único paciente que era uma criança na psicanálise.

Esse paciente foi o pequeno Hans. Ele era filho do amigo de Freud, Max Graf. Hans tinha apenas 5 anos quando visitou Freud. Seu pai era um compositor e historiador da música que fazia reuniões psicanalíticas semanais na casa de Freud. O pequeno Hans desenvolveu uma fobia, recusando-se a sair de casa. Ele estava com medo de que o cavalo pudesse mordê-lo.
Freud viu Hans e desenvolveu um estudo de caso sobre uma teoria na qual ele baseou toda a sua carreira. De acordo com Freud, Hans via seu pai um rival que disputava com ele a atenção de sua mãe, então teve que reprimir sua raiva e agressão contra seu pai. A repressão leva ao medo de ser castrado por seu pai. Sigmund acreditava que Hans via seu pai como um cavalo, então ele afastava seu medo de ser castrado por seu pai colocando seu medo em cavalos. Ter medo de um cavalo era sua maneira de controlar seu medo da castração. Pelo menos é nisso que Freud acreditava.

8 – Freud psicanalisou sua própria filha
Contra todas as diretrizes éticas e melhor julgamento, Sigmund muitas vezes fazia terapia em seus familiares. Mas ele fez a maior parte de seu trabalho em sua filha Anna. É uma reviravolta verdadeiramente bizarra para suas teorias como adultos ficam presos em suas vidas. Ele tinha sessões regulares de psicanálise com ela, programadas todos os dias às 22h. Ele começou a ver sua filha quando ela tinha 23 anos e continuou até a sua morte.

Ela era solteira e morava com Freud e sua mãe. O que é ainda mais interessante, Freud desencorajou os pretendentes a se aproximarem de Anna. Quando ela tinha 18 anos, Sigmund disse ao homem que a cortejava que “ela ainda estava longe de desejos sexuais”. Que ironia. O homem que foi pioneiro a argumentar que crianças seriam seres sexuais, declarava como argumento que sua filha de 18 anos não tinha sentimentos sexuais.

9 – Ele tinha TOC
Hoje, rotulamos aqueles que seguem cronogramas rígidos como obsessivo-compulsivos. Freud pode ter tido um TOC também. Ele seguiu um cronograma rígido e exigente por 50 anos. Ele acordava às 7 da noite, recebia pacientes de 8 a 12 anos e depois almoçava com a família. Seguia para uma caminhada até a tabacaria local e via os pacientes novamente. Ele se aposentou por 9 ou 10 anos para escrever (ou ter sessões de psicanálise com sua filha mais tarde). Seu diário está cheio de detalhes de suas atividades diárias.

10 – Freud recusou 100 mil dólares de um magnata de Hollywood
Em 1925, o produtor de cinema Samuel Goldwyn ofereceu a Freud 100 mil dólares para escrever um roteiro de filme. A fama de Sigmund se espalhava amplamente nos Estados Unidos. Goldwyn considerava Freud “o maior especialista em amor do mundo”. A tarefa de Freud seria escrever ou dar consultoria em um roteiro de filme sobre as grandes histórias de amor. Mas Freud recusou a oferta.

Goldwyn é o fundador da Goldwyn Pictures, o que mais tarde se tornou parte do Metro-Goldwyn-Mayer. Ele ganhou um Oscar de melhor artes cinematográficas e ciências em 1946 por seu drama “Os Melhores Anos de Nossa Vida”.

11 – A biblioteca do Congresso dos EUA abriga 153 caixas de correspondências que nunca podem ser abertas
Um dos maiores arquivistas da correspondência de pessoas famosas, a Biblioteca do Congresso dos EUA tem 8 caixas da correspondência de Freud. As pessoas deixam escritos para eles. Algumas das correspondências de Freud são sobre ele, sua família, seus pacientes, algumas sobre seus colegas e algumas sobre seus escritos. E de todas elas, 19 não podem ser abertas até 2020, 2050 e 2057. Outras 8 estão seladas para sempre.

Fonte Original: pensarcontemporaneo.com

*Esse texto remete à dados e opiniões da fonte original

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here