Vocês já repararam como são os relacionamentos? Alguns chegam como uma brisa do litoral no fim do dia trazendo uma sensação que jamais conseguimos esquecer de tão bem que nos faz. Outros, parecem aqueles tornados que passam por cidades destruindo tudo e só deixando rastros de ruínas e abandono. Já experimentei dos dois, mas confesso que foi este último que me deixou de coração partido.

Claro, afinal, são os tornados que nos destroem, ou quase. Eles chegam meio assim do nada, rompem todas as nossas barreiras, nos abraçam com força e nos beijam molhado nos dando a certeza de que nunca mais saberemos viver sem aquele calor, sem aquela sensação, sem toda aquela adrenalina que um ser atormentado nos provoca. Mas daí, quando tudo termina, porque, você sabe, todo tornado passa, começamos a olhar em volta pra ver tudo o que restou de nós e juntar os pedaços espalhados.

Esse é o momento mais difícil. O momento que observa-se as perdas e os danos. O que restou e quem nos tornamos. Meses levamos até perceber que todo o sofrimento não vale a pena, meses levamos até entender que fomos apenas um objeto frágil no meio de uma tempestade, mas que, sobreviveu e por sobreviver, nos tornamos fortes.

Se você observar bem uma mulher madura, vivida, verá nela coisas que não conseguirá compreender e se perguntará: Por que ela é assim tão inesquecível?

Se chegar mais perto e conhecer sua história, verá que ela é uma sobrevivente. Uma sobrevivente de várias tempestades e tornados tais como mencionei no início deste texto. Cada abalo em seu mundo a transformou aos poucos na mulher que ela é hoje, forte, linda, segura, mágica. Porque sim, há uma magia nas pessoas que viveram grandes perdas e grandes amores.

Ao contrário do que muitos homens pensam, a mulher não se destrói completamente após o fim de um relacionamento. Sempre resta uma parte nela intacta, que ela sabe preservar e que a ajuda a reconstruir todos os seus pedaços partidos tonando-a assim, fabulosa. Quando eu digo que algumas mulheres se tornam mais poderosas após relacionamentos frustrados, digo que elas, além de poderosas são inesquecíveis já que o processo de “reconstruir-se” faz delas um ser incrível que fica na memória de quem vê e no coração de quem conhece. A receita? Só nós mulheres temos, acredito até, que homem algum a conhece.

Leia Mais: Autonomia e independência da mulher incomoda o homem

É um brilho diferente no olhar, um charme único no caminhar e aquele sorriso de quem já viveu muito, sofreu muito e está ali agora, linda, diante de você. Ela não tem medo, já enfrentou e venceu seus próprios monstros, é sábia, confiante, verdadeira. Não dissimula nem esconde seu interesse. Não se importa se está sozinha ou acompanhada, ela não depende mais das pessoas emocionalmente, é livre e incrivelmente fascinante. Arruma-se pra ela mesma, perfuma-se pra ela e não para os tolos que insistem em segui-la. Seu coração é o seu maior patrimônio, ela sabe pra quem o entrega. Não quer mais brincar de arroubos infantis e, caso venha outro tornado, ela já criou sua própria muralha de proteção.

Lembre-se, mulher: arroubos de amor vem e vão com muita brutalidade deixando muitas de nós, caídas, sozinhas ao chão. Se está passando por essa fase agora, saiba que essa bagunça que vive neste momento fará de você uma mulher ainda mais incrível, mais inteligente e confiante. Saiba que a dor que corrói teu peito hoje, amanhã será a força que precisará para enfrentar novas tempestades e de forma mais segura e feliz.

Não permita que alguém te destrua como se você fosse apenas uma cabana de madeira em meio ao deserto enfrentando sozinha uma tempestade sem coração. Não! Você é forte, mulher! Já superou a vendavais e tsunamis! São essas vitórias que fazem de você a mulher incrível que é hoje, então, NÃO PERMITA QUE NINGUÉM TE DIGA O CONTRÁRIO. Acredite, suas dores e noites mal dormidas é que fizeram de você INESQUECÍVEL.

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Cris Souza Fontês
Escritora, blogueira, amante da natureza, animais, boa música, pessoas e boas conversas. Foi morar no interior para vasculhar o seu próprio interior. Gosta de artes, da beleza que há em tudo e de palavras, assim como da forma que são usadas. Escreve por vocação, por amor e por prazer. Publicou de forma independente dois livros: “Do quê é feito o amor?” contos e crônicas e o mais espiritualizado “O Eterno que Há” descrevendo o quão próximos estão a dor do amor. Atualmente possui um sebo e livraria na cidade onde escolheu viver por não aguentar ficar longe dos livros, assim como é colunista de assuntos comportamentais em prestigiados sites por não controlar sua paixão por escrever e por querer, de alguma forma, estar mais perto das pessoas e de seus dilemas pessoais. Em 2017 lançará seu terceiro livro “Apaixonada aos 40” que promete sacudir a vida das mulheres.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here