Acho curioso como tanta gente acredita que eu sou super feliz e risonha o tempo todo.

“Como você consegue rir tanto?” ou “como “Consegue ser tão boba e feliz?” são perguntas até que recorrentes.

Bem, eu tento. Me esforço pra ser feliz porque ser feliz é uma escolha.

E como a vida real não é como no Facebook ou no Instagram, existem dias bons, assim como outros horrendos, nos quais me sinto o ser humano mais desprezível da Terra.

De qualquer forma, acredito que felicidade é algo construído e por isso segue abaixo minha receitinha. Isso envolve alguns ingredientes:

– 2 colheres de cara de pau raladas na hora;
– Risadas a gosto;
– 4 xícaras do estilo de roupa que você preferir;
– 2 colheres de sopa da maquiagem que te deixar mais a vontade (ingrediente opcional);
– 1 balde de zueira ou bobices, o que preferir;
– 2 bacias de autoexpressão (pode ser por meio da pintura, dança, canto etc);
– Pelo menos 1 hora diária de autoconhecimento;
– Quando necessário, acrescente quantidades a gosto de lágrimas ou xingamentos;
– 1 xícara de ‘foda-se’ ou quantas forem necessárias à receita;
– E por fim e não menos importante: 5 colheres de sopa de LIMITES ÀS PESSOAS QUE NÃO SABEM OUVIR “NÃO”.

Leia mais: A deliciosa arte de ligar o fodômetro

Este último ingrediente é essencial. De verdade. Eu não sei você, mas fui criada para ser a mocinha boazinha que sempre faz tudo o que os outros querem, desde ir na padaria ou no shopping com a amiga; imprimir 20 páginas de um arquivo qualquer em casa pra uma pessoa que não tenho intimidade ou ir com uma moradora de rua na farmácia e deixar ela pegar tudo o que queria (e deixar a conta bem maior do que meu orçamento no momento permitia).

Eu fui criada num meio pra agradar todo mundo. TODO MUNDO MESMO, desde meus pais, aos professores, amigos, namorado, pedintes e desconhecidos que pedem favores ou atenção. Até agora foi assim. Mas convenhamos, não da para ter uma vida própria e autêntica só dizendo “sim” pros outros e “não” para si mesma.

Então o que tem acontecido? Eu, por mais que queira acionar o foda-se, sofro quando digo não às pessoas, quando às decepciono. E, simultaneamente, sofro quando sou alvo de chantagens emocionais quando não faço o que elas querem.

Leia mais: 7 dicas para ajudar você a dizer não e se sentir muito bem com isso

Talvez você saiba do que estou falando: sabe a mãe /avó que só falta se jogar da janela caso você diga que não quer jantar ou não gostou da comida? Ou talvez a amiga ou amigo que não se conforma com seu distanciamento e começa a criticar suas escolhas ou falar do fim da amizade? Ou quem sabe o ex que não aceita o término do namoro e começa a fazer chantagens diversas?

Acontece. E neste processo de voltar-se para o próprio desenvolvimento, comecei a reparar, mesmo que tardiamente, alguns aspectos interessantes na caminhada de ir em busca da própria essência:

As críticas surgirão – e serão muitas!

Começar a falar “sim” para mim mesma e deixar um pouco de lado as necessidades dos outros tem sido algo complicado. Qualquer coisa é alvo de críticas, desde um projeto ao modo como gasto meu próprio tempo. É bem provável que as pessoas não queiram, não gostem e não aceitem suas mudanças. Isso é bem chatinho, mas é normal.

Leia mais: Como identificar e superar críticas negativas com sabedoria

Quem está no processo de autoconhecimento é você, não elas, então pra elas deve ser um choque ver uma mudança não esperada. Aceite com compreensão e tenha paciência, MAS, acima de tudo, NÃO DÊ OUVIDOS se a sua intuição estiver te guiando pra outro caminho. Se lá no fundo você sentir que está fazendo a coisa certa, continue e tampe os ouvidos.

Você será vítima de chantagens emocionais

Sabe as críticas que eu acabei de dizer? Talvez elas de fato não funcionem com você, então é provável que algumas pessoas apelem pra chantagem emocional pra fazer com que você desista do seu propósito e continue a ser como era antes (boazinha, submissa, enfim, o que era mais confortável para elas).

Sim, vai ter gente falando que você não é mais a mesma amiga de antes ou que você mudou por algum motivo (namorado, mudança de emprego, estilo de vida, religião etc) e que isso não te faz bem. Talvez estas pessoas estejam corretas, mas se você sente que sua escolha é saudável, te faz bem e está te fazendo progredir, prossiga nela e não dê ouvidos às ladainhas dos chantagistas.

Leia mais: Aprenda a Reconhecer uma Pessoa Controladora

É válido lembrar que a chantagem traz bastante sofrimento, então seja forte, porque das duas uma: ou você cede ao que a pessoa quer e se mantém presa ao que era antes (e aí a pessoa fica feliz e você não) ou diz “não” à pessoa, lida com a frustração dela e continua sua caminhada.

Por fim, é super válido ressaltar que, por mais que elas estejam sofrendo com sua ausência, você não é responsável pela vida ou felicidade de ninguém, nem mesmo dos seus pais, melhores amigos ou namorado(a). Ok? Eles que lidem com os próprios sentimentos e se empenhem na busca da própria felicidade.

As pessoas somem

Quero dizer, algumas, mas não todas. Depois de podar um monte de gente, seja dizendo não às chantagens, ignorando as críticas ou dando limites às pessoas (tipo não dando muita atenção pro pessoal que só quer atenção ou vem pedir ajuda, mas que não te acrescenta nada de bom), um monte de gente some.

E isso é lindo e assustador ao mesmo tempo.

Leia mais: Sempre vamos perder pessoas – e isso nem sempre é ruim

Por um lado, é estranho não ter tantas pessoas exigindo tantas coisas ao mesmo tempo, seja atenção, amor ou amizade, mas, por outro lado, justamente pela liberdade de não haver tanta cobrança, sobra muito mais tempo pra poder focar em si mesma, olhar pra dentro e ver o que precisa de luz. Enfrentar os próprios monstros, encarar os próprios medos.

Mas uma coisa é certa, depois de tudo isso, só as pessoas que REALMENTE importam permanecem. E isso é lindo, precioso.

Você descobre um montão de coisas sobre si mesma

Acabei de falar isso no tópico anterior, mas é válido ressaltar novamente. Não perder tempo ou energia emocional e mental com gente que só vem despejar lixo em você é muito bom. E assim, fica muito mais fácil focar naquilo que a sua própria vida merece de maior atenção e cuidado.

Leia mais: Por que você diz sim, quando quer dizer não?

Veja bem, não estou dizendo para você ser egoísta e ignorar o mundo à sua volta, mas sim para dosar o quanto se doa pelo mundo e o quanto você se doa por si mesma. Isso é igualmente muito importante.

É, por exemplo, deixar de ir comprar um sapato com uma amiga que não gosta de sair sozinha pra poder ler um livro que fala exatamente sobre o que você gostaria de aprender naquele momento. Ou quem sabe, não passar o final de semana em família pra ter a chance de encontrar outras pessoas incríveis que podem mudar seu dia ou sua jornada de alguma forma. É fazer as próprias escolhas.

E acabar descobrindo um mundo interno riquíssimo, cheio de belezas, sombras, desafios e muito mais histórias do que Game of Thrones ou Senhor dos Anéis.

Leia mais: Concessões, uma forma de evitar atritos

As pessoas sempre cobrarão e ficarão mais felizes se você fizer o que elas querem. Sempre. E normalmente preferirão a mulher boazinha, já que é muito mais fácil controlá-la. Eu não sei você, mas cansei de me sentir apagada e calada por querer dizer “sim” pra todo mundo e acabar dizendo “não” pra mim mesma.

Bora deixar essa sua essência linda aflorar? Um monte de gente vai reclamar, mas eu te garanto que será lindo. Você é uma deusa, todas nós somos! É só descobrirmos.

*Texto publicado originalmente por Marcella de Carvalho no Site Lado M e reeditado com autorização do administrador

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA