“Alguns de nós pensam que nos possuir nos faz mais fortes; mas, às vezes, é deixar ir.” Hermann Hesse

Ela soube disso antes de mim. E mais intensamente do que eu.

Eu, por outro lado, posso ter considerado nossas diferenças, mas nunca pensei nelas como motivos para terminar. Tentei justificar as muitas brigas que tivemos entre nós e acreditei que nosso casamento poderia funcionar, apesar dos desafios.

Eu tinha esse sentimento de que as coisas iam melhorar e me mantinha esperançoso, não importando o quão ruim nosso relacionamento estivesse.

Eu disse a mim mesmo que sua personalidade extrovertida e minha introversão poderiam funcionar juntas. E que sua natureza mais social e extrovertida e minhas inclinações mais privadas e caseiras eram apenas pequenas diferenças.

Eu acreditava que a causa de nossos conflitos era o fato de nós dois estarmos tentando nos estabelecer em nossas carreiras profissionais. Ou talvez, o que pressionava nosso relacionamento era o fato de nos mudarmos da Califórnia para que ela pudesse completar seu treinamento profissional. Ou talvez não estivéssemos nos dando bem porque não tínhamos um sistema de apoio.

Em retrospecto, se eu fosse completamente objetivo, poderia ver que havia problemas. Havia brigas e desentendimentos dignos de um reality show na TV. Havia dias de não falar e ameaças de ir embora regularmente. Havia vezes em que ignorávamos os sentimentos e as preferências do outro em nossos objetivos de vida. Havia falta de compreensão e compaixão um pelo outro.

Ainda assim, ficamos juntos por anos, e mesmo depois da nossa separação, eu ainda não queria que esse relacionamento terminasse. Mesmo depois do nosso divórcio, eu estava esperançoso.

Era o otimista em mim? Eu estava iludido?

Você está se perguntando por que você está preso em um relacionamento que não está funcionando e que é ruim para você?

Você pode sentir a perturbação todos os dias e se sentir frustrado com as constantes lutas e desentendimentos.

Você está se perguntando por que está tendo problemas em deixar ir, quando a pessoa com quem está não é a pessoa certa para você? Está se perguntando por que está preso a um relacionamento disfuncional e doentio? E pior ainda, não fazendo nada sobre isso?

Aqui estão as sete principais razões pelas quais nos mantemos em relacionamentos ruins.

1. Nós crescemos acostumados a pessoas que nos tratam mal
Aqueles de nós que cresceram em lares abusivos ou prejudiciais se acostumaram ao amor complicado. Começamos a acreditar que as pessoas que nos machucam são aquelas que realmente nos amam. Aprendemos que não há problema em ser maltratado, não ter limites e se sentir magoado com o comportamento de outras pessoas. Outros nos ensinaram que é aceitável aceitar abuso e problemas constantes. Nós não só podemos tolerar isso, mas começamos a achar normal.

Leia Mais: 3 comportamentos que nos mantêm em relacionamentos infelizes

2. Preferimos maus relacionamentos ao desconhecido
Essa é a maior razão pela qual a maioria de nós permanece em relacionamentos disfuncionais e nocivos. Podemos desprezar a pessoa e o relacionamento, mas odiamos a incerteza e mudança. Nossos cérebros simplesmente não estão preparados para aceitar circunstâncias diferentes. Nós suportaríamos qualquer quantidade de dor para evitar lidar com o futuro desconhecido.

3. Preferimos um mau relacionamento a ficar sós
Não suportamos ficar sozinhos. Não podemos imaginar uma vida sozinhos. Nós nos vemos com gatos, outras pessoas solitárias e passeios silenciosos no parque. Ouvimos o silêncio, não vemos ninguém, e sentimos como se estivéssemos desaparecendo completamente da Terra. A opção de estar sem alguém parece desesperadora e assustadora.

4. Nós não nos valorizamos
Temos um baixo senso de autovalor e não acreditamos em nós mesmos. Quando encontramos pessoas que nos derrubam e nos colocam pra baixo, nos sentimos confortáveis com seu comportamento porque isso confirma nossas crenças sobre nós mesmos. Estamos abertos a pessoas que nos tratam mal porque estamos acostumados a nos tratar mal rebaixando, criticando e machucando a nós mesmos. Não acreditamos que valemos o tempo e a atenção de alguém mais gentil e compassivo em relação a nós. Podemos até mesmo temer sermos bem tratados porque não confiamos que merecemos ou que vai durar.

5. Nós nos sentimos rejeitados, abatidos, vigiados e lançados aos tubarões
Terminar um relacionamento, não importa quão bom ou ruim foi, nos faz sentir indesejados. Atinge nossa autoestima e autovalor. Faz-nos sentir indesejados e indignos. Muitos de nós nos sentimos indesejados ou abandonados em nossa infância, e terminar um relacionamento na idade adulta traz todos os nossos velhos sentimentos à tona. Preferimos ficar com alguém do que cair em um buraco de indignidade, nunca sabendo se poderemos recuperar nossa autoestima novamente.

6. Nós nos sentimos fora de lugar e fora de controle
Não sabemos mais qual é o nosso lugar ou papel no mundo. Nós não somos mais o marido, esposa ou parceiro de ninguém. Perdemos metade da nossa família e amigos, a família e os amigos do ex. Não sabemos o que dizer para as pessoas em jantares, trabalho ou qualquer outra situação social.
Nossa sociedade tende a valorizar os casais, então, sem um relacionamento, ficamos perdidos e deslocados na vida cotidiana. As pessoas falam de nós, e nosso status de relacionamento parece estar no centro das atenções.

7. Nós não acreditamos que exista mais alguém lá fora para nós
Uma grande parte do motivo pelo qual preferimos ficar juntos é que duvidamos que possamos encontrar alguém quase tão compatível novamente. Como sabemos que podemos namorar de novo? Como sabemos que alguém nos achará atraentes novamente? Como sabemos se o amor nos atingirá novamente no futuro? Em vez da incerteza de um dia que pode nunca vir e de um amor que pode nunca florescer, escolhemos ficar com a pessoa que já encontramos.

Leia Mais: Saindo de um relacionamento negativo? Leia isso

Em vez de se agarrar a um relacionamento que é ruim para o coração e a alma, considere a possibilidade de seguir em frente, lamentar e deixar ir esse relacionamento que não está funcionando. Confie em sua intuição, saiba que esse relacionamento não está certo e aja de acordo com seu conhecimento interior.

Olhe para o relacionamento objetivamente, como eu gostaria de ter feito antes, e tome a decisão de ir embora antes que as coisas piorem. Por mais que você queira que o relacionamento melhore, se nenhum dos dois estiver trabalhando nisso, ou se vocês apenas não são certos um para o outro, isso não vai melhorar.

Saiba que dias mais promissores estão à frente se você liberar essa pessoa e esse relacionamento doentio de sua vida. Você pode superar esse rompimento, como já fez muitas vezes em sua vida, e pode sair desse relacionamento.

Dias mais brilhantes significam ficar sozinho às vezes; significa encontrar a paz; significa conhecer-se e, eventualmente, encontrar-se em um relacionamento saudável e gratificante.

Tantas pessoas passaram por corações partidos, perderam aquela pessoa especial e por fim encontraram a pessoa certa.

A incerteza depois de terminar um relacionamento ruim é desconfortável, mas melhor que o conforto de um relacionamento problemático.

Deixar ir e acabar com esse relacionamento é arriscado, mas com grandes riscos vêm as maiores recompensas da vida. Um dia de paz e conforto por si mesmo vale mil dias estando em um relacionamento que é sufocante e disfuncional.

Em vez de despejar amor em alguém que não pode retribuir, considere dar a si mesmo esse amor. Abra seu coração para si mesmo, fale gentilmente com você mesmo, faça coisas boas para si mesmo, torne sua vida confortável e relaxada.

Cultive um santuário interior de silêncio, compaixão, paz e aceitação de si mesmo, talvez por meio de yoga, meditação ou algum tempo na natureza, ou consulte um terapeuta para trabalhar as principais feridas de sua infância.

Trabalhe em práticas espirituais que o ajudem a aceitar a si mesmo por quem você é e a se sentir confortável em seu próprio corpo sem precisar estar com ninguém. Isso pode incluir trabalho de respiração, afirmações, registros no diário ou até mesmo alguma forma ou arte.

Por fim, lembre-se de que seu ex ajudou você a crescer e conduziu-o ao lugar que é hoje, mas não é saudável mantê-lo em sua jornada até o fim. Deixar ir o seu ex permite que você faça a jornada por conta própria durante um tempo para que você possa ficar mais forte e estar melhor preparado para relacionamentos saudáveis e felizes no futuro.

Depois de suas próprias viagens solo, você pode encontrar outro amor que o ajudará a crescer como pessoa e alcançar seu potencial como ser humano. Ou permitirá que você descubra quem você é, para que possa viver uma vida honesta e autêntica, que o levará a experiências ricas, crescimento espiritual e amizades mais profundas.

Perder esse relacionamento doentio não significa que seu mundo acabou e que nunca haverá alguém lá fora novamente para você. Acabar com esse relacionamento abrirá o campo de possibilidades para relacionamentos autênticos, amor saudável e felicidade verdadeira.

(Link original: tinybuddha)
*Traduzido e adaptado por Marcela Jahjah, da equipe Fãs da Psicanálise

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here