Emoções podem iluminar ou escurecer nossa vida. Ajudar nossos filhos a reconhecê-las e gerenciá-las é um dos melhores presentes que podemos oferecer a eles.

Ao completar 2 anos de idade, todas as crianças devem começar a aprender como controlar suas emoções. Não é um trabalho fácil! Se, como adultos, já temos dificuldade em gerenciar adequadamente o que sentimos, como podemos ensinar nossos filhos a controlar o que sentem?

Mas em primeiro lugar, pergunte a si mesmo: Quantas vezes o seu filho te viu perder a paciência em um engarrafamento? Quantas vezes ele viu você mentir ou interromper alguém enquanto falavam?

Agora pense: Quantas vezes você viu seu filho provocando seus irmãos ou mentindo apesar de saber que não é a coisa certa a fazer?

As crianças e os adultos têm respostas semelhantes: todos nós nos deixamos levar por uma emoção que nos preenche em um determinado momento. Claro, isso aconteceu com todos em algum momento, independentemente de quantos anos eles têm.

O principal é que precisamos entender que processar corretamente nossas emoções é uma parte fundamental do equilíbrio mental e emocional.

Conhecer, reconhecer e processar nossas emoções

Hoje em dia, ensinar nossos filhos também envolve ajudá-los a administrar suas emoções. Uma criança que pode aprender a processar e controlar suas emoções pode melhorar muitos outros aspectos em sua vida, como:

– Melhor atenção
– Sucesso acadêmico
– Sendo mais apto na resolução de conflitos com colegas
– Melhor comportamento
– Maior consideração pelos outros

Como você pode ensiná-los?

A chave está em conhecer, reconhecer e processar emoções. Na psicologia, existem 6 emoções básicas: medo, surpresa, aversão, alegria, tristeza e raiva. No entanto, existem estudos que descrevem muito mais emoções, e alguns listam até 300. Mas não vamos pedir muito de nossos filhos. Para começar, estaremos mantendo o básico.

Leia Mais: 10 características de pais tóxicos que arruínam a vida de seus filhos sem perceber

Estratégias para processar e controlar nossas emoções

Algumas das estratégias de controle de emoções que podemos usar para ensinar nossos filhos são as seguintes:

Identificando emoções

Quando a criança completa 5 anos, as crianças devem identificar se estão tristes ou loucas. Além disso, eles devem saber expressar-se e responder de maneira construtiva. Ao completar 10 ou 11 anos, as emoções tornam-se mais complicadas, mas ainda precisam aprender a identificá-las.

Ajude seus filhos a expressar e conhecer suas emoções usando expressões como:

“Nós tivemos um bom momento na casa da vovó. Você estava tão feliz.”
“Eu sei que você está triste porque sua irmã não queria brincar com você.”

Esclareça as expectativas

Evite surpresas que possam desencadear uma resposta irada. Seus filhos devem saber o que vai acontecer, mesmo que não gostem ou não queiram fazê-lo. Ao mesmo tempo, seja firme em sua decisão.

Por exemplo:
“Nós vamos para a sua tia porque eu tenho que falar com ela. Leve alguns brinquedos para brincar enquanto conversamos.”
“Quero que você saiba que em alguns minutos vamos sair do parque. Nós temos que ir para casa”.

Tomar uma decisão

Prepare um lugar tranquilo e confortável em casa com travesseiros ou almofadas onde seus filhos possam ir para refletir quando as coisas não saem do jeito que eles queriam. Ao fazer isso, eles saberão que você se importa com os sentimentos deles.

Autocontrole

Para controlar nossas emoções, precisamos ser pacientes. Enquanto caminha, experimente jogar com seus filhos e diga que até que você diga uma palavra, eles não podem se mover e esperar (congelados). Quando você diz a palavra, eles podem se mover novamente.

Leia Mais: Será que ama de forma natural os teus filhos?

Desenvolver empatia

Convide seus filhos a se colocarem no lugar dos outros. Aceite que você também pode sentir o que os outros sentem. As perguntas são uma ótima ferramenta para fazer as crianças refletirem sobre o que sentem e sobre suas ações.

Por exemplo:
“Eu sei que você está com fome e quer comer. Eu também fico rabugenta quando estou com fome, mas temos que esperar.”
“Como você acha que sua irmã se sentiu depois que você gritou com ela assim?”

Encoraje e louve

Encoraje o comportamento positivo. Você não precisa dar nenhum objeto ou presente, basta saber que eles estão sendo reconhecidos por algo bom que eles fizeram.

Por exemplo:
“Você foi ótimo! Você não me interrompeu quando eu estava falando ao telefone”.
“Obrigado por me ajudar a arrumar a mesa. Por me ajudar, você pode escolher a sobremesa”.

Ações e consequências

Falar e chegar a um acordo sobre algo é melhor do que responder de forma agressiva ou violenta. Se uma criança se comporta mal com alguém, ela precisa aprender a se desculpar. Além disso, as crianças devem aprender a perdoar os outros quando maltratadas.

As ações têm consequências, portanto, todos precisamos aprender a importância de tomar boas decisões. Por exemplo, você poderia dizer aos seus filhos algo como:

“X ainda é seu amigo, mesmo que ele ou ela não tenham emprestado o brinquedo.”
“Mesmo que X te acerte, você sempre pode perdoá-lo e ainda ser amigo.”

Seja um exemplo

É nos momentos em que seu filho está sendo difícil que você tem que mostrar que você é capaz de ter autocontrole. Nada do que você diz pode ter um impacto mais forte do que o que você faz.

Se você gritar, seus filhos aprenderão a responder gritando. Se encontrá-los onde estão e falar com eles em um tom calmo e baixo, eles também aprenderão a controlar sua raiva em todos os momentos.

Leia Mais: “Mães saudáveis preparam os filhos para arcar com as suas responsabilidades” – Içami Tiba

Praticar juntos

Em situações em que seus filhos podem ficar chateados (quando seus amigos não compartilham seus brinquedos, por exemplo), guie-os para encontrar a melhor maneira de responder. Além disso, ajude-os a identificar quais maneiras evitar. Praticar com seus filhos os ajudará a administrar melhor suas emoções em situações perturbadoras.

Fale calmamente

Quando há um problema ou uma situação avassaladora, seu filho deve aprender a falar sem se perder. Para que eles aprendam a expressar as emoções que os perturbam, seu exemplo é essencial. Você pode dizer-lhes algo como:

“Também estou chateado por causa da briga, mas respiro. Acalme-se e conte-me o que aconteceu”
“Estou cansado também, mas podemos dar um tempo e você pode continuar me dizendo o que aconteceu”

Abraços

Não deixe seus filhos sozinhos com seus sentimentos. Mostre-lhes que você se importa com suas decepções e frustrações. Abrace-os, mostre a eles que você os entende e ama. A confiança e segurança em seu amor os ajudará a administrar melhor seus sentimentos.

Tudo passa

Sentimentos desconfortáveis são dolorosos, mas eles passam. Raiva, tristeza, decepção, frustração – tudo o que te magoa não dura para sempre. Nestes tipos de situações, você pode dizer algo como:

“Você pode se sentir mal agora, mas eu prometo que em alguns minutos você vai se sentir melhor”
“Eu sei que você está chateado, e você pode até querer chorar, então deixe sair. Você vai se sentir melhor depois”

Faça o tempo

Seus filhos devem saber que você esculpirá um momento do seu dia para ouvir seus problemas e preocupações, mesmo se estiver cansado, sobrecarregado ou chateado. Você deve superar suas emoções e dar-lhes esse tempo. Você pode dizer a eles:

“Diga-me como foi seu dia na escola”
“Você se divertiu com a sua prima?”

Reflexão

Emoções podem iluminar ou escurecer nossa vida. Ajudar nossos filhos a reconhecê-los e gerenciá-los é um dos melhores presentes que podemos oferecer a eles.

(Fonte Original: steptohealth)
*Texto traduzido e adaptado por Carolina Marucci da equipe Fãs da Psicanálise.

Imagem: Simon Rae

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here