Se o modo que você dorme, o formato das suas unhas e o o modo como você fecha a mão influenciam diretamente na sua personalidade, acredite, o formato do seu pé diz ainda mais!

Um olhar atento para os pés pode revelar muito sobre você, sua personalidade e até sobre seu estado de espírito.

“De acordo com as emoções ou problemas que enfrentamos, o cérebro manda informações aos músculos, inclusive para aqueles que agem nos pés, torcendo, levantando ou abaixando os dedos, por exemplo”, explica o reflexoterapeuta Osni Lourenço, que ministra cursos de reflexologia e linguagem dos pés há mais de 20 anos.

Leia mais: Tudo que você precisa saber sobre suas emoções e nunca te contaram

“A reflexologia não é adivinhação. É um estudo científico, baseado na fisiologia. Algumas pessoas conseguem, por esforço próprio, melhorar os aspectos necessários; já outras precisam da ajuda de especialistas para auxiliar neste sentido”, completa. Aprenda a seguir a decifrar seus pés e dê passos firmes rumo ao bem-estar!”

ANALISE SEUS DEDOS

Cada dedo revela um aspecto da vida. No pé esquerdo, do dedão em direção ao mindinho, você avalia: tristeza, afinidade/amizade, criatividade, amor e confiança, respectivamente. No direito, a mesma ordem indica: alegria, desejo, atividade, apego e medo. O formato do dedo também conta, viu? Saiba mais abaixo:

1. Segundo dedo maior do que o dedão: “Você tende a fazer o que pediu aos outros. Com isso, pega muita coisa para fazer e acaba se estressando demais”, alerta o especialista.

Leia mais: Por que você diz sim, quando quer dizer não?

2. Pé harmonioso: faça o teste, colocando uma régua na ponta dos dedos, de modo que ela fique entre o dedão e o dedinho. Se o seu dedão tocar a régua, seu pé é harmonioso, um sinal de que você costuma transmitir bem suas ideias e pensamentos e respeita o tempo dos outros, sem atropelá-los.


3. Dedos muito separados: mostram alguém independente, que não se envolve muito com os outros nem com a própria família. “Isso gera insegurança e incertezas nas atividades, demonstrações de amor e assim por diante”, aponta o reflexoterapeuta. Por outro lado, dedos muito juntos indicam pessoas que se preocupam demais com os familiares, vivem mais para os outros do que para si. Qual é o melhor? Nem um nem outro. O melhor é ter equilíbrio. Procure demonstrar interesse pelos seus entes queridos, mas não precisa “viver” por eles. Em outras palavras, ajude-os a resolver os problemas, mas não os resolva para eles.

Leia mais: Aquilo que estamos não é o que somos

4. Dedo torcido: neste caso, sua unha “espia” o dedo do lado. Por algum motivo, até sem perceber, você está distorcendo a maneira como mostra suas ideias e até seu afeto em relação aos outros, por exemplo. “Você não demonstra direito, como considera correto, seus sentimentos. É preciso rever seus valores e princípios para voltar a ter harmonia”, afirma Lourenço.


5. Dedos murchos: É como se o dedo não estivesse “recheado”. Se tem o dedão assim, isso significa que você perdeu a alegria.“A pessoa fica apática, o que se reflete em todos os aspectos da vida, como o amor, o trabalho…”, diz. Para reverter isso, Lourenço sugere um exercício: escolha um objeto que está sempre com você, como chaveiro, por exemplo, e, cada vez que tocar nele, agradeça.“A lamentação acaba e a alegria volta.”

Leia mais: Equilíbrio, seja bem-vindo à minha vida

6. Dedão com a unha projetada para o alto: revela pessoas sonhadoras e, algumas vezes, deselegantes. Se estão numa conversa que não as interessam muito, deixam o outro falando sozinho. Dizem apenas: “Aham”, “Sim”, “Hum”.


7. Dedo em “C”: Três dedos voltados para o lado do dedinho revelam alguém que vive para o futuro. Se voltados para o dedão, alguém que está atrelado com o passado.

Leia mais: Exercícios de autoconhecimento para descobrir quem você é

8. Dedos em forma de garra: Indica que você tem certa dificuldade de expressão. “Se for o dedo da ideia, você não consegue mostrar bem o que pensa; se for o do desejo, não consegue revelar o que quer…”, diz Lourenço. E assim por diante.


TAMBÉM É IMPORTANTE OBSERVAR:

A PRESENÇA DE CALOS

Podem ser sinal de mágoa. Se aparecer no dedo relacionado à atividade, por exemplo, algo ruim pode ter acontecido no seu trabalho, como ser criticada por dar muitas sugestões. “Para não sofrer, você decide que não fará mais como fazia antes”, diz Lourenço. O problema é que suas outras atividades, como a convivênc, a academia, também acabam sendo afetadas. Dessa forma, o calinho também pode aparecer no dedo relacionado ao. Funciona assim: depois de levar um fora, você promete que nunca mais vai se apegar a ninguém e isso também se reflete em todos os seus outros relacionamentos. “Quem não tem calo é porque esqueceu a mágoa”, diz Lourenço. Bola para a frente!

Leia mais: Em mágoa parada não brota amor

A EXISTÊNCIA DE JOANETE

Ela revela pessoas que colocaram os sonhos e interesses de outros acima dos seus e se lamentam por isso. “A joanete está relacionada com a lamentação, não com a atitude altruísta”, diz Lourenço. Uma dica para vencer isso? Adote a palavra “aprendi” para sua vida. “‘Aprendi que não devo fazer isso’. Quando se aprende, transforma-se algo ruim em um benefício.

Fonte: Motivação do dia.com
Autor: Allyson Souz
*Adaptação livre Fãs da Psicanálise
Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

RECOMENDAMOS




DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here